“A violência deve ser encarada de frente e sem demagogia”, disse Fernando Bezerra que defende vinda da força armada para Pernambuco

Plenário do Senado

Durante a Reunião Plenária desta terça-feira,20, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) destacou a importância da intervenção militar como um elo para o fim da violência nas grandes cidades brasileiras. Ele argumentou que a violência dever ser “encarada de frente, sem demagogia e a partir da cooperação entre União e Estados”.

FBC defende veementemente a determinação do presidente da República, Michel Temer correligionário de partido. O senador acredita que a medida adotada pelo governo por meio da intervenção militar no estado do Rio de Janeiro, neste mês de fevereiro representa uma ação positiva para conter a criminalidade e avaliou que algumas tentativas anteriores foram insuficientes.

Segundo Fernando, a competência de garantir a segurança e a ordem pública no Rio de Janeiro, que é um papel do estado, está assegurada por meio da intervenção apresentada por Temer, e simboliza uma ação corajosa dos militares em favor da sociedade Brasileira.

Bezerra Coelho sugeriu aos colegas senadores que abracem a medida do governo federal pela intervenção militar, diante dos dados alarmantes da violência no país. Pediu ainda que os executivos deixem de lado os embates políticos e partidários.

“O que está em jogo não se resume a um mero apoio do Governo Federal a um determinado estado da Federação, mas sim uma sinalização firme e inequívoca de que o Estado brasileiro combaterá incessantemente a criminalidade com recursos financeiros disponíveis e humanos necessários, com atividades de inteligência e cooperação entre os entes federativos”, enumerou o senador.

Citando uma reportagem do jornal “Folha de São Paulo” que trata sobre a intervenção no Rio de Janeiro, FBC sublinhou que tal ação abre precedentes para que sejam inseridas em outros estados inclusive, em Pernambuco.

“No editorial da Folha de SP desta segunda-feira (19) foi sinalizado que a intervenção no Rio de Janeiro abre precedentes para ações similares em outras regiões do país”, disse, acrescentando: “Em Pernambuco, por exemplo, a criminalidade tem avançado de modo alarmante com indicadores até piores (do que o Rio de Janeiro)”.

Deixe seu comentário