CBF deve entrar com recurso na Justiça para iniciar as disputas das Séries C e D

Cecília de Sá Pereira/DP/D.A PressA Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deverá entrar com um recurso hoje, na Justiça comum, para revogar a liminar de primeiro grau que está suspendendo o início da Série C. A informação é do presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), Evandro Carvalho, que está em contato constante com a cúpula da entidade máxima do futebol nacional. Além disso, Evandro Carvalho ainda revelou que os clubes prejudicados com o adiamento da competição, que deveria ter começado desde o último domingo, poderão entrar com uma ação indenizatória também na Justiça comum contra o Brasil de Pelotas e o Treze.

 Os clubes são os protagonistas da paralisação das Série C e D ao entrarem com recursos na Justiça comum antes de encerrarem todas as esferas junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), como é pedido pela Fifa. “É uma loucura isso que eles fizeram recorrendo à Justiça comum. Esses clubes, inclusive, ainda estão passíveis de desfiliação junto à Fifa. Os clubes prejudicados, inclusive, têm a possibilidade de entrarem com uma ação indenizatória pelo prejuízo financeiro causado com o adiamento das Série C e D”, disse o presidente da FPF, confirmando que hoje poderá haver uma reviravolta nessa paralisação: “Hoje (ontem) não posso confirmar quais os recursos que a CBF está usando, mas há, sim, a chance de tudo voltar ao normal.”

 Caso a Série C seja mesmo retomada, ainda não está sequer definido se o Santa Cruz jogaria mesmo a primeira partida contra o Guarany de Sobral, no Arruda, ou se faria a estreia diante do Salgueiro, no Sertão – em partida válida já pela segunda rodada da Série C. A possibilidade maior, porém, é que a CBF jogue a partida da primeira rodada para acontecer somente depois última, em novembro. Treze-PB, Santo André-SP, Brasil de Pelotas-RS, Rio Braco-AC e Araguaína-TO estão envolvidos no imbróglio que paralisa as duas últimas divisões nacionais.

 Prejuízo tricolor

A renda do jogo contra o Guarany, de acordo com o presidente coral, Antônio Luiz Neto, está fazendo falta aos cofres do clube. Com o mês de maio repleto de pagamentos – como os bichos pela conquista do bicampeonato, contratações, além dos salários dos atletas -, os recursos do clube se estreitaram. “Estamos vivendo um momento muito ruim. O fato de não ter sido realizado o primeiro jogo está nos fazendo pensar em como vamos trazer esse dinheiro”, disse.

Fonte: Diario de Pernambuco

Blog do Banana

Deixe seu comentário