Censura ao Vampirão partiu do Palácio do Planalto

Um dia depois de instaurada a intervenção militar no Rio de Janeiro, o governo de Michel Temer deu a primeira demonstração de como será o Rio de Janeiro sob o comando do Exército.

Partiu do Palácio do Planalto a ordem para a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) impedir que o Vampirão neoliberal da Paraíso do Tuiuti desfilasse com a faixa presidencial. A informação é do jornal O Globo, que retratou a censura como se a escola tivesse “desistido” de exibir a faixa no personagem representado pelo historiador Leo Morais.

Até o momento, a Tuiuti não esclareceu de quem foi a ordem para retirar o adereço presidencial na fantasia do Vampirão. Visivelmente incomodado, Morais disse que o vampiro representa o “sistema”.

“Isso que está acontecendo no Rio de Janeiro hoje, para qualquer um que tenha um conhecimento de história, é preocupante. A gente fica até com medo de se manifestar. Eu espero que isso não seja um grande retrocesso”, disse Morais.

Além da censura à faixa presidencial, o Planalto também censurou a Paraíso do Tuiuti por meio da TV Brasil. A emissora, que era pública e se tornou um departamento do governo de Michel Temer, não exibiu nada do que vinha depois do carro da Lei Áurea. Ficaram de fora as alas da CLT, dos patos, dos manifestoches, e o carro do vampirão neoliberal sem a faixa presidencial.  (247)

Deixe seu comentário