Deputado Odacy Amorim envia nota sobre a polêmica extração de minério e a destruição da Cruz no Morro Banco em Casa Nova

O deputado Odacy Amorim (PT), enviou nota de esclarecimento sobre a exploração do Morro Branco na comunidade do Lago em Casa Nova. Segundo os moradores, o processo de exploração do moro não tinha as licenças ambientais, o deputado afirmou que todos os procedimentos legais foram encaminhados e está tudo dentro da leia para exploração do “Moro Branco”. O parlamentar pernambucano também esclarece que  tem apreço por todas as religiões.

Confira a Nota:

Estamos em constantes visitas e reuniões com a população local para esclarecer quaisquer dúvidas a cerca do estudo realizado no Morro Branco. Vale salientar que NADA está sendo feito em discordância com a lei, sendo obtida previamente todas as licenças exigidas para a realização da referida atividade. Os proprietários das terras que abrigam o Morro, e que autorizaram o estudo, estão cientes e animados com o projeto, que poderá desenvolver toda a região de forma relevante, proporcionando melhoria na economia local e geração de vários empregos. Todos os requisitos legais estão sendo cumpridos, ficando clara a legitimidade e benefícios do projeto. Não há nenhuma intenção em provocar danos ambientais e causar malefícios a natureza, tanto que obtivemos todas as licenças ambientais necessárias. Nos colocamos à disposição de quem quer que seja para demonstrar a legalidade da questão e esclarecer qualquer dúvida. De antemão, destacamos que, no próximo domingo (10), haverá outra reunião para esclarecimento da questão, que ocorrerá na localidade de Entrada, fazenda Campo Largo, ficando o convite para o comparecimento de quem tenha interesse. Vale salientar, que tomaremos todas as medidas judiciais cabíveis contra aqueles que, diante da legalidade da questão, insistem em plantar mentiras e em incentivar a ocorrência de conflitos. Infelizmente, percebe-se a utilização da religião e da boa fé dos moradores por parte de alguns representantes para deslegitimar uma atividade totalmente reconhecida e legalizada. Petrolina e região já viveram situações semelhantes, onde muitos desrespeitaram símbolos religiosos que eles mesmos colocaram, e tudo isso com o intuito de culpar ou agravar uma determinada situação. Petrolina nos conhece, sabe do nosso apreço e respeito a religião e ao ordenamento jurídico, e saberá reconhecer a legalidade do projeto.

Deixe seu comentário