Donos de veículos se dizem humilhados ao enfrentar filas do Detran em Petrolina

Motorista dorme em caminhão esperando ser atendido

“A palavra certa é humilhação”, assim define Evanildo Correto  a situação de quem precisa do serviço  do Detran em Petrolina para realizar transferência de automóveis. Há quem chegue ao local às 7:30 da noite do dia anterior, como seu José Osvaldo, 53 anos, que recebeu a ficha número seis.

“A pessoa passar o dia todo dentro de um carro é pra arrombar”, esbraveja.

Já seu Geraldo Alves da Silva, 61, estacinou seu carro em frente ao Detran  às 4hs da manhã de hoje. E também reclama muito da situação. “É demais é um negócio errado demais. Em Juazeiro não é sim não, é mais tranquilo”, compara.

As longas filas para fazer a vistoria e  transferência de veículos presenciadas em Petrolina não acontecem em todo Pernambuco.  Severino Corretor, que traballha com venda de carros seminovos, afirma que em Recife o mesmo procedimento “não passa de um hora”. Apesar da demora em ser atendido, Severino reconhece que o novo supevisor do Dentran em Petrolina, Horácio Franca,  tem se esforçado para melhor a situação. “O outro a gente nem via, esse tá sempre pelos corredores, ouvindo o pessoal”, elogia.

O Blog procurou Horacio para prestar esclarecimentos. Contudo,  ele informou que não poderia passar informações à imprensa devido à normas internas do órgão.

Frota – Enquanto as longas filas persistem  no setor de vistoria de automóveis do Detran, onde são distribuídas cerca de 50 fichas por dia, a frota de veículos em Petrolina não para de crescer, ao contrário da infraestrutura do Departamento de Trânsito, aquém da demanda.  Em Junho a cidade chegou à marca de 90632 carros, segundo dados do Detran.

Deixe seu comentário