Furacão anunciado: insatisfeitos poderão deixar ‘Frente Popular de Pernambuco’ depois de chegada do PT

Com a possível chegada do PT para compor a Frente Popular de Pernambuco e garantir a reeleição do governador Paulo Câmara, PSB, que já tem em sua base mais de 10 partidos, o mesmo pode ser pego se surpresa com a saída dos partidos PSC, PSD, PP e PR. Isso porque segundo fontes, a chapa majoritária já estaria fechada com Paulo Câmara, governador; José Queiroz, PDT, vice-governador e os dois senadores Humberto Costa, PT, e Jarbas Vasconcelos, MDB, fechariam a chapa.

A formação da chapa, segundo especulações, já estaria provocando essa dissidência. Nos bastidores, ao dispor apenas de vagas para mandatos proporcionais, as legendas em questão sobraram e, já ensaiam uma ‘rebelião’, pois acreditam terem força suficiente para estarem na majoritária encabeçada pelo governador, mas ao que parece, não seria prioridade para Paulo.

Paulo Câmara temo como orientação dos marqueteiros que a inclusão do PT na chapa, colocar sua imagem colada com a do ex-presidente Lula que hoje tem uma média de 70% de intenção de votos no estado, isso lhe garantiria praticamente a reeleição. Já as legendas que pleiteiam nos bastidores compor a majoritária, foram fiadoras do golpe parlamentar que colocou Michel Temer no poder. Essas mesmas legendas que têm à frente o deputado federal Eduardo da Fonte, PP; André de Paula, PSD; Sebastião Oliveira, PR e o Pastor André Ferreira, do PSC, continuam na base de Temer, votando contra os trabalhadores e à favor da venda da soberania nacional.

Diferente de Paulo Câmara, que logo após o golpe, se arrependeu de ter financiado o afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff, com a liberação de secretários que são deputados federais licenciados.

Deixe seu comentário