Juristas pela Democracia representam contra Moro no CNJ: prevaricação

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) ingressou na tarde desta terça-feira 10 com uma representação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra Sérgio Moro, o juiz da Lava Jato.

O motivo é o fato de Moro ter se manifestado no último domingo 8 contra a soltura do ex-presidente Lula, embora o caso não esteja mais sob sua jurisdição, e ter até ligado para o chefe da Polícia Federal para que a ordem de soltura o desembargador Rogério Favreto, do TRF4, não fosse cumprida.

Favreto atendeu a um habeas corpus apresentado na última sexta-feira pelos deputados Wadih Damous, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira e considerou que Lula estaria sendo prejudicado, por estar preso, de participar da pré-campanha presidencial.

De acordo com a ação da ABJD, Moro “não poderia interferir no cumprimento da ordem, tendo cometido o delito de prevaricação”. O CNJ já irá abrir um procedimento para apurar a conduta de Moro e de desembargadores do TRF-4. O órgão recebeu oito reclamações contra Favreto e duas contra Moro (antes da chegada da ação dos Juristas pela Democracia).

Confira aqui a íntegra da ação apresentada ao CNJ. (247)

Deixe seu comentário