Maior central sindical dos EUA convoca manifestações por Lula Livre

O jornalista Brian Mier entrevistou, nesta semana, o diretor de Relações Internacionais da central sindical AFL-CIO, Brian Finnegan, considerada a maior dos Estados Unidos, com 12 milhões de sindicalistas filiados. No dia 26 de julho, a AFL-CIO emitiu uma carta denunciando a prisão política de Luiz Inácio Lula da Silva, exigindo sua libertação. “Estamos numa intensa mobilização contra o golpe no Brasil”, relata Finnegan.

A central sindical AFL-CIO é parceira do grupo “For Democracy in Brazil” (Pela Democracia no Brasil), grupo que aglutina diversos brasileiros e estadunidenses que vivem em solo norte-americano e denunciam o Estado de Exceção imposto ao Brasil.

Recentemente os manifestantes ganharam destaque internacional ao protestar contra uma visita do juiz Sérgio Moro aos EUA, onde ministrou palestra na Universidade de Columbia, em Nova York.

O líder sindical afirma que no próximo dia 13 de agosto ocorrerão manifestações nas cidades de Washington e Nova York reivindicando a liberdade de Lula. “Já fizemos diversos atos em consulados e embaixadas do Brasil. O compromisso da nossa central é intensificar essa mobilização”, anuncia.

Finnegan afirma que parte da imprensa estadunidense reproduz a seletividade da mídia hegemônica brasileira. “Alguns jornais tradicionais não se esforçam para entender o que de fato acontece no Brasil, mas vamos intensificar a nossa denúncia”, afirma.

Assista à entrevista:

247

Deixe seu comentário