Ministro do Trabalho é afastado pelo STF e PF faz operação na Câmara

O Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu o ministro do Trabalho, Helton Yomura, em decorrência de uma nova fase da Operação Registro Espúrio, que apura fraudes na concessão de registro sindicais ocorridas na pasta. A Polícia Federal está cumprindo, nesta quinta-feira (5), um mandado de busca e apreensão no gabinete da Câmara do deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP). Yomura também foi impedido de frequentar o ministério ou manter contato com demais investigados ou servidores da pasta.

Ao todo, a PF está cumprindo 10 mandados de busca e apreensão e outros três mandados de prisão temporária em Brasília e no Rio de Janeiro. Também foram impostas medidas cautelares de maneira a impedir que os políticos investigados frequentem o ministério. Youmura foi apontado pela PF como “testa de ferro” dos caciques do PTB para dar continuidade ao esquema implantado no ministério. Ele deverá prestar depoimento ainda na manhã desta quinta-feira.

Yomura chegou ao cargo após a deputada Cristiane Brasil, filha do ex-deputado e líder do PTB Roberto Jefferson, ter sido alvo de investigação pelo não pagamento de direitos trabalhistas de ex-empregados e, também, por ela ter sido investigada na primeira fase da Operação Registro Espúrio. Yomura é afilhado politico de Roberto Jefferson.

Por meio de nota, a Polícia Federal disse que “as investigações e o material coletado nas primeiras fases da Operação Registro Espúrio indicam a participação de novos atores e apontam que importantes cargos da estrutura do Ministério do Trabalho foram preenchidos com indivíduos comprometidos com os interesses do grupo criminoso, permitindo a manutenção das ações ilícitas praticadas na pasta”.

Yomura é apadrinhado político do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) e de sua filha, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), ambos foram alvos das primeiras fases da Registro Espúrio. (247)

Deixe seu comentário