Prestes a ser rifada nome de Marília Arraes desidrata em todos as consultados nas regiões do estado

Diferente do que algumas pesquisas possam querer apontar, a vereadora Marília Arraes, PT, vem tendo sua pré-candidatura pelo partido ao governo desidratada, desde que a tese da aliança com o PSB do governador Paulo Câmara, virtual candidato à reeleição, ganhou mais força nos últimos dias.
 
 
 
Pesam contra a pré-candidata, o fortalecimento da união dos partidos de centro-esquerda e das esquerdas para que o País volte a ter as políticas públicas voltadas para o povo como nos governos petistas de Lula e Dilma Rousseff; e o apoio dos socialistas à pré-candidatura de Lula que mesmo preso, encabeça todas as pesquisas para presidente. 
 
 
A aliança com os socialistas fortalece o nome de Lula, podendo um nome do PSB ser indicado a vice-presidente. Também a vereadora não pensou em formar base, ou seja, nomes fortes para que o PT volta a ter protagonismo na Câmara Federal.
O partido em 2014, não elegeu nenhum deputado ou deputada e não é esse o caminho que a maioria dos filiados petistas parecem querer novamente. Diante desses quadros, a pré-candidatura de Marília Arraes e a candidatura própria do PT, vão mesmo serem derrotadas no domingo, 10, na reunião dos delegados do partido para definir seu rumo político em 2018.
 
 
 
Será que o senador Humberto Costa, PT, que buscou a tese da aliança numa construção com parte dos integrantes do PT, o que dizem, Marília não fez o mesmo e agiu sem diálogo com a sigla ao se lançar pré-candidata, ganhará a queda de braço com o grupo da vereadora para devolver  à legenda os espaços eleitorais perdidos? 
 
 
Pelas últimas informações de bastidores, Costa parece está levando uma boa vantagem sobre Marília Arraes.
Deixe seu comentário