Terapeutas Ocupacionais da UPAE e HDM falam sobre a importância da oferta da especialidade nos serviços de saúde

Neste Dia Mundial do Terapeuta Ocupacional (19.01), as profissionais da Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina e do Hospital Dom Malan, Daniela Monteiro e Heloísa Oliveira, respectivamente, falam sobre a importância da oferta da especialidade nos serviços de saúde.
 
São estes os profissionais que cuidam da prevenção e do tratamento de indivíduos portadores de alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psicomotoras, decorrentes ou não de distúrbios genéticos, traumáticos e/ou doenças adquiridas, através da sistematização e utilização da atividade humana como base de desenvolvimento de projetos terapêuticos específicos.
 
Essa é a definição oficial. “Mas, de maneira simples podemos dizer que o TO busca devolver as funções perdidas do indivíduo. Por exemplo, um paciente sequelado de hanseníase, que ficou com a mão em garra. Através da TO, nós conseguimos fazer com que os movimentos da mão sejam restabelecidos e esse paciente volte a segurar objetos. Ou seja, a força e a função de pinça da mão são retomadas, isso sem falar da questão social, pois, a reabilitação promove a inclusão”, esclarece Daniela.
 
Em poucas palavras, o profissional de TO procura trabalhar a independência e autonomia física e mental, estando habilitado a tratar idosos com limitações, crianças com problemas de aprendizado e profissionais com rotinas árduas de trabalho.
 
Os principais campos de trabalho incluem clínicas, casas de repouso, hospitais, instituições geriátricas, psiquiátricas e penais, centros de reabilitação, creches e empresas. Há cerca de 15 mil terapeutas ocupacionais no país, mas há carência deste profissional em todos os estados, ainda mais se tratando do serviço público de saúde. Por isso, a oferta desta especialidade na UPAE e HDM torna-se tão especial.
 
“É preciso explicar a função do Terapeuta Ocupacional, pois, por se tratar de uma profissão relativamente nova e pouco divulgada, ainda é muito desconhecida pela maioria da população. E o TO faz parte da equipe multiprofissional de saúde, devendo estar presente nos hospitais e outros serviços”, ressalta Heloísa.
 
E se há algo para ser comemorado nesta data é justamente o aumento dessa oferta na região. O Hospital Dom Malan conta com o apoio da Terapeuta Ocupacional no setor da pediatria, atendendo às segundas, quartas e quintas das 13 às 19h, e na terça e sexta das 7 às 13h. Já na UPAE, a TO atende ambulatorialmente na segunda das 13 às 17h, e nas quartas e quintas manhã e tarde. “Sem dúvida, esse é um avanço para nós profissionais que ampliamos o nosso campo de trabalho e para a população que passa a contar com novas especialidades da saúde”, conclui Daniela.
Ascom
Deixe seu comentário