Vereadora Maria Elena cobra do poder público municipal, maior fiscalização do uso das calçadas por bares localizados no bairro Areia Branca

O direito de moradores do bairro Areia Branca, zona leste de Petrolina-PE, transitarem livres nas calçadas, principalmente as localizadas em vias como a Avenida São Francisco, foi tema de discurso da vereadora Maria Elena Alencar, PRTB, durante a sessão plenária da Câmara Municipal, nesta quinta-feira, 17.

“Quando saio, vejo um indisciplinamento com relação aos bares da cidade. No bairro Areia Branca, por exemplo, está impraticável se circular pelas calçadas. A gente sabe que os comerciantes precisam desses serviços, mas o que a população de Areia Branca pede e nós somos, provocados, instigados para trazer a esta Casa, é que sejam respeitados os espaços das calçadas para o livre trânsito”, registrou Maria Elena.

Segundo a vereadora, além de cadeiras e mesas, “o que já dificulta a passagem das pessoas pelas calçadas”, agora os comerciantes de bares e similares do bairro, também lançaram mão de objetos de decoração que forçam o pedestre a andar pelo meio da rua. Ela citou um novo estabelecimento localizado próximo ao contorno entre as Avenidas São Francisco e Paraíba que tomou toda a calçada com mesas, cadeiras e uma espécie de divisor, de jarras grandes, que tiram totalmente a passagem.

“O proprietário além de colocar as mesas e cadeiras na calçada, deixa cada vez mais impraticável transitar por elas nesse lugar. Ele colocou uma espécie de jarros grandes, de divisor, obstruindo a calçada e isso tem forçado as pessoas a andarem pelo meio da rua”, criticou a vereadora. Maria Elena fez um pedido ao secretário Eduardo Carvalho (Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade) para observar esse disciplinamento dos bares no bairro Areia Branca.

“Mandem os ficais observarem isso. É um absurdo. A população se recente, o povo de Areia Branca se recente, as pessoas todas da área me provocaram para solicitar providências. Quero que se resolva para daqui a 15, 20 dias, eu chamar a Comissão dessa Casa e saber quais foram as providências, no sentido de deixar livre o trânsito das pessoas, delas circularem livres. É o mínimo de direito que elas têm”, finalizou a vereadora Maria Elena Alencar.

Deixe seu comentário