Banco Central anuncia hoje alta nos juros que pode chegar a 1,5 ponto percentual

Previsão inicial era de a Selic ser elevada em 1 ponto percentual. Mercado mudou projeção após possível furo nos gastos públicos.

O Copom (Comitê de Política Monetária) anuncia nesta quarta-feira (27) a nova taxa básica de juros do Brasil. A previsão do mercado é de que a Selic sofra elevação de até 1,5 ponto percentual, ou seja, de 6,25% para 7,75%.

A Greenbay Investimentos projeta que a Selic chegue 8% já nesta quarta, ou seja, alta de 1,75 ponto percentual.Inicialmente, as projeções apontavam para um aumento de 1 ponto percentual (7,25%).

A mudança ocorreu após o ministro da economia, Paulo Guedes, anunciar que o governo pode furar o teto dos gastos para pagar o Auxílio Brasil — benefício que substitui o Bolsa Família — no valor mínimo de R$ 400 até o fim de 2022.

A Selic vem registrando uma série de altas nas últimas cinco reuniões do Copom. No encontro realizado em setembro, a taxa básica de juros passou de 5,25% para 6,25% ao ano.

Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor-executivo da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade), acredita que o anúncio de Guedes vai refletir no resultado desta reunião do Copom.

“Se não subir mais de um ponto percentual nesta reunião, certamente subirá na seguinte. Com isso o juro e o dólar ficarão mais caros e impactarão diretamente a inflação”, diz Oliveira.

Caio Megale, economista-chefe da XP, destaca que o teto de gastos é importante pelo fato de o Brasil ser um país muito endividado.

“A nossa dívida pública está na ordem de 80% do PIB [Produto Interno Bruto], ou seja, 80% de tudo o que a gente gera de riqueza nós temos em dívida, enquanto a média dos países emergentes é em torno de 50%. E essa dívida não é só elevada como tem um juro alto no país que atua sobre esse estoque de débitos”, conta Megale.

Projeções do mercado elevam Selic a até 8%

De 43 instituições ouvidas na segunda-feira (25) pelo Projeções Broadcast, 18 esperam alta de 1,50 ponto porcentual, para 7 75%, outras 18 de 1,25 ponto, para 7,50%, e sete acreditavam em aumento de 1,00 ponto, passo adotado em setembro, para 7,25%.

Mas, diante do IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15) de outubro acima do esperado, algumas casas já estão mudando de novo suas apostas, para um patamar mais elevado.

No mercado de juros futuros, o prêmio embutido na curva se traduz em aumento na precificação de alta de 1,75 ponto porcentual (80%) da Selic amanhã, para 8%, nos cálculos da Greenbay Investimentos.

Se confirmada qualquer uma dessas opções, será a sexta elevação consecutiva da taxa básica. Desde o fim de 2017, a Selic está abaixo desses patamares.

No Relatório de Mercado Focus, que compila os cálculos do mercado financeiro, a projeção mediana para a inflação em 2021 está em 8,96%. Para 2022, a expectativa está em 4,40%.

A projeção dos economistas para a inflação está bem longe do centro da meta de 2021, de 3,75%, e também bastante acima do teto estabelecido pela margem de tolerância de 1,5 ponto (de 2 25% a 5,25%).

A projeção para 2022, por sua vez, já se aproxima mais do teto da meta (5,00%) do que do centro (3,50%).

( Texto R7)

Deixe seu comentário