Codevasf lança licitação para conclusão do projeto Pontal Norte, em Petrolina (PE)

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, esteve com o diretor-presidente da Codevasf, Marcelo Moreira, nesta sexta (16), em Petrolina (PE), para o lançamento de licitação visando à conclusão do Pontal Norte, projeto público de irrigação localizado na área rural do município pernambucano. Ao todo, o Governo Federal irá investir cerca de R$ 200 milhões no projeto.

O investimento será destinado a obras e aquisição de equipamentos do Pontal Norte, que terá uma área irrigada de 4,1 mil hectares, dividida em 60 lotes empresariais, com média de 40 hectares por unidade, e 286 lotes familiares, com média de seis hectares por unidade.

A área norte do Pontal usará água captada do Pontal Sul, já finalizado e em fase de ocupação, e terá uma infraestrutura hídrica com 23 km de canais e duas estações elevatórias, 13 setores de colonização e 64 km de redes pressurizadas, o que deve gerar mais de 12 mil empregos e beneficiar quase duas mil pessoas.

O diretor-presidente da Codevasf, Marcelo Moreira, afirmou que a Companhia está atuando, desde o ano passado, em parceria com o Banco do Nordeste para assegurar os financiamentos aos produtores, gerando emprego, renda e desenvolvimento para a região. “Somando a área Norte à área Sul, o Pontal terá 7,7 mil hectares irrigáveis, gerando cerca de 23 mil empregos diretos indiretos”, afirmou Moreira.

Em seu discurso, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, destacou a importância desses investimentos do Governo Federal para o desenvolvimento e a redução das desigualdades no país. “Enfrentar as desigualdades é uma missão do governo, e as oportunidades acontecem quando há investimentos em infraestruturas como essa do projeto Pontal. Por isso, envidamos esforços para viabilizar essas obras que têm como propósito servir à população”, concluiu Marinho.

A estimativa é que, ao todo, o projeto Pontal beneficie uma população de mais de 32 mil habitantes. As principais culturas a serem produzidas nos lotes são caju, maracujá, goiaba, manga, uva e coco, além de cultivos anuais como milho, feijão, amendoim, melão, melancia, abóbora, tomate, entre outros.

Deixe seu comentário