Em ano atípico, comerciantes seguem otimistas para vendas de Natal em Petrolina

Mesmo com fechamento e medidas restritivas por conta do novo coronavírus, a expectativa dos lojistas para as vendas do final de ano são positivas. É o que revela um levantamento realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Petrolina (CDL).

A pesquisa realizada com associados à entidade prevê um crescimento médio nas vendas de até 7%, mesmo com a pandemia, os consumidores vão continuar presenteando.

De acordo com o diretor executivo da CDL, Valdivo Carvalho, a data é muito positiva para o comércio. “Mesmo diante da atual conjuntura econômica e de saúde, as pessoas não costumam deixar a data passar em branco. Além disso, o pagamento do 13º salário, auxílio emergencial, campanha natalina e os sinais de recuperação na economia, vão ajudar no incremento da renda e no aumento das vendas de fim de ano”, explica Valdivo.

Além de toda a decoração especial usada para a data, muitas lojas se prepararam com promoções, sorteios de brindes e até café da manhã para os clientes. Já outras prometem o funcionamento em horários especiais para atender toda essa demanda gerada nesse período natalino.

De acordo com o gerente de uma loja de departamentos, Valdemar Júnior, a perspectiva de vendas para os próximos dias é animadora.

Nos meses anteriores tivemos bons resultados e esperamos nos próximos dias dobrar o número de vendas, tendo em vista o pagamento do décimo terceiro e as promoções que realizamos com a Campanha Natal da Cidade, onde as pessoas concorrem a prêmios. Estamos otimistas e esperamos no geral ter um aumento médio nas vendas de no mínimo 30%”, disse Junior.

Black Friday

Uma das principais datas do comércio, a Black Friday, acontece esse ano ainda sob o impacto da pandemia da Covid-19. Se os varejistas esperam aumentar as vendas durante a campanha, os consumidores parecem estar ávidos pelas promoções. É o que mostra a pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), em parceria com a Offer Wise Soluções em Pesquisa. Segundo o estudo, 61% dos entrevistados afirmam que pretendem fazer compras na Black Friday esse ano, um crescimento de 24% em relação ao ano passado.

Considerando apenas os consumidores que farão compras na Black Friday, 63% justificam dizendo que este é um momento oportuno para comprar produtos que estão precisando com preços mais baixos, ao mesmo tempo, 37% afirmam que irão aproveitar para antecipar as compras dos presentes de Natal em promoção. Por outro lado, entre os que não farão compras, 24% alegam estar sem dinheiro, enquanto 20% estão desempregados.

A pesquisa mostra que os consumidores têm a intenção de adquirir 3,3 produtos. Cada consumidor deve gastar, em média, R$ 918,23 com as compras durante a promoção, valor que aumenta para R$ 1.168,91 entre as classes A/B. Os produtos mais procurados serão as roupas (42%), os calçados (31%), os smartphones (22%), os eletrodomésticos (22%) e eletrônicos (20%). (FONTE: CNDL)

Deixe seu comentário