Ministra pernambucana é chamada de louca durante transmissão virtual da Segunda Câmara do Tribunal

Com o advento das reuniões remotas dado a crise da pandemia do novo Coronavírus este ano, as conversas virtuais ganham espaço no cotidiano popular, mas durante a transmissão online algumas medidas devem ser tomadas para evitar ruídos na comunicação.

Prova disso, na sessão virtual da Segunda Câmara do Tribunal, conduzida pela ministra Ana Arraes, nesta terça (28), um microfone aberto e palavras paralelas causaram constrangimento na reunião remota.

A ministra confundiu-se sobre a posição do procurador Lucas Furtado – entendeu que ele havia pedido vista, quando, na verdade, seguiu o relator -, o que irritou o chefe de gabinete do integrante do MP junto ao tribunal.

Sem perceber que o microfone estava aberto para que todos os ministros ouvissem, o servidor esbravejou contra a ministra. “Não pediu vistas, po**!”

Ao ouvir a fala, Ana Arraes chega a se assustar. O servidor, no entanto, segue o falatório: “A mulher é louca. Ele não pediu vista. Rapaz do céu. A ministra Ana Arraes vai ser o caos na presidência do TCU!”

Os ministros, desnorteados com a grosseria, resolveram mandar o caso para a corregedoria do tribunal. E quem comanda a corregedoria? Ana Arraes – próxima presidente do Tribunal de Contas da União. (Com informações do Adriano Roberto)

Deixe seu comentário