PF prende três em operação contra ataque hacker ao STF; há mandados em Pernambuco

A Polícia Federal prendeu, na manhã desta terça-feira (8), na Operação Leet, três integrantes de uma organização criminosa suspeita de promover ataques cibernéticos contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

As ordens judiciais foram expedidas pelo ministro Alexandre de Moraes.

Ao todo, três mandados de prisão e cinco de busca e apreensão são cumpridos em Olinda e Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife; Belém do São Francisco, no Sertão de Pernambuco; Itumbiara, em Goiás; e Bragança Paulista, em São Paulo – a PF ainda não detalhou onde cada mandado foi cumprido.

De acordo com a Polícia Federal, as investigações começaram após a identificação, por parte da equipe de tecnologia da informação do STF, de uma série de condutas suspeitas que indicavam que o site da Corte estaria sob um ataque hacker, em 3 de maio deste ano.

A PF informou ainda que, a partir das medidas judiciais cumpridas nesta terça, são buscados outros participantes do ataque cibernético, bem como as circustâncias.

Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de invasão a dispositivo de informática e associação criminosa, segundo a PF. Caso condenados, podem pegar penas que chegam a cinco anos de reclusão.

Leet
O termo LEET, também conhecido como eleet ou leetspeak, é uma alternativa ao alfabeto inicialmente usado para o idioma inglês, empregado principalmente na internet.

Se utiliza de várias combinações de caracteres ASCII para substituir letras do alfabeto latino.

É usado como um adjetivo para descrever proeza formidável ou realização, especialmente nas áreas de jogos on-line e em sua forma original, usada por hackers de computador. (Folha-PE)

Deixe seu comentário