Prefeitura do Recife anuncia nomeação de mais 575 profissionais para a rede de saúde municipal

Novos profissionais se juntam a outros 1.006 já nomeados desde o início da gestão. Deste total, 19% irá integrar a Rede de Atenção Psicossocial. Novas contratações significam investimento anual de R$ 48 milhões

Com o objetivo de ampliar o acesso aos serviços de saúde, melhorar os indicadores e ofertar atendimentos com maior qualidade para os recifenses, a Prefeitura do Recife anunciou, nesta terça-feira (17), a contratação de 575 novos profissionais aprovados no último concurso público, realizado em 2019, e em outro feito em 2016. Os profissionais vão atuar em Unidades de Saúde da Família (USF), nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), nos Polos da Academia da Cidade, na Vigilância Ambiental e na Média e Alta Complexidade. O anúncio foi feito pelo prefeito João Campos durante a 15ª Conferência Municipal de Saúde, na Imbiribeira.

“No dia de hoje, eu faço um dos anúncios que eu mais esperava fazer. Vamos fazer a assinatura nesse momento da contratação de aproximadamente 600 profissionais de Saúde para nossa rede, uma conquista que nos emociona e que nos inspira. A gente vai nesse momento assinar a contratação de 200 agentes comunitários de saúde (ACS), 135 médicos, 46 enfermeiros, 43 técnicos de enfermagem, 41 agentes de saúde ambiental e controle de endemias (asace), 38 cirurgiões-dentistas, 21 profissionais de educação física para as Academias da Cidade, 19 assistentes sociais, 13 terapeutas ocupacionais, sete psicólogos, seis farmacêuticos, quatro fonoaudiólogos e dois técnicos em saúde bucal. É papel do município fazer esse reforço”, explicou o prefeito João Campos.

“Com esse ato hoje eu queria pedir a vocês uma única coisa. Está custando muito para gente essa ação. Mas isso não é caro para o município. Caro para o município é ter um recifense sem ter um direito a atendimento à saúde, é um jovem não ter direito a um atendimento para a depressão, caro é a gente não ter as condições adequadas de trabalho. Essa assinatura está representando R$ 48 milhões por ano a mais, que a gente vai colocar na saúde. E a gente está fazendo isso com responsabilidade. A gente fez conta, estamos liberando no limite, mas com segurança de que esse é um passo grande e necessário. Que a gente possa caminhar juntos com tantas transformações que a gente vai fazer na Saúde”, acrescentou o gestor.

Com o novo anúncio, a gestão crava a marca de 1.581 nomeações na rede municipal de saúde desde o último ano, pois estes profissionais se juntam a outros 1.006 de diversas categorias que foram nomeados desde o início da atual gestão. Deste total, 603 já começaram a trabalhar. As novas contratações significam um impacto de quase R$ 48 milhões anuais junto aos cofres municipais.

“Desde o começo da gestão, a Secretaria de Saúde do Recife tem um olhar atento para as necessidades dos recifenses e reconhece os inúmeros desafios para fazer o Serviço Único de Saúde operar da maneira adequada. No entanto, encaramos tudo isso de frente, mapeando as nossas necessidades e trabalhando para adequar as ofertas dos atendimentos da forma que o recifense merece. Por isso, o dia de hoje é um marco de um importante passo que estamos dando para o avanço do SUS no Recife. Queremos chegar em 2024 com a população recifense mais saudável e com um modelo de Atenção à Saúde de referência nacional”, pontua a secretária de Saúde do Recife, Luciana Albuquerque.

Classificado em 1º lugar para a vaga de agente comunitários de saúde (ACS) para o trabalhar no Alto José do Pinho, Júnior Silva, 26 anos, desempregado, veio para a Conferência Municipal de Saúde como observador do evento e sai hoje com a notícia de que serão convocados 200 agentes comunitário de saúde (ACS). “Já faz um tempo que sonhava com essa nomeação. Hoje me surpreendi com esse número de 200 agentes, eu pensava que seria um número muito inferior. Esse é um número muito além do que a gente vinha sonhando”, contou.

Professora de Educação Física, Risonete Martiniano, 53 anos, também almeja estar entre os convocados para trabalhar na Academia da Cidade. “Estou tão feliz com o anúncio. Espero ser chamada, quero mostrar meu trabalho e o que eu sei fazer”, disse.

SAÚDE MENTAL – Dos 575 profissionais que serão nomeados, 111 trabalhadores (19% das convocações) vão fortalecer a Rede de Atenção Psicossocial (Raps) do município, atuando nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps). No ano passado, a Rede teve um aumento de 26,5% na procura por procedimentos, comparado com 2019, último ano pré-pandemia, realizando 162 mil deles, com uma média mensal de 13,5 mil. Naquele ano, foram feitos 128 mil procedimentos na Raps – a média por mês foi de 10,6 mil. Já em 2020, em função da pandemia e suas restrições nos protocolos de atendimento, foram realizados 94 mil procedimentos (média mensal de 7,8 mil).

15ª Conferência Municipal de Saúde – Começou nesta terça-feira (17) e segue até a próxima quinta (19), no Centro de Eventos Recife, na Faculdade Pernambucana de Saúde, na Imbiribeira, a 15ª Conferência Municipal de Saúde do Recife. Com o tema “Democracia, direito à saúde e participação social: desafios para o SUS Recife num cenário de subfinanciamento do sistema”, o evento é realizado pelo Conselho Municipal de Saúde (CMS) do Recife, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde.

A conferência tem como objetivo discutir, propor e elaborar diretrizes que subsidiarão a elaboração do Plano Municipal de Saúde (PMS) para o próximo quadriênio (2022-2025), além de debater as prioridades para a atuação da gestão nos anos de governo. Durante esses dias, estarão reunidos 404 delegados, entre eleitos, natos e indicados, para discutir temas relacionados às políticas públicas de saúde e aprovar propostas dos usuários de todas as Regiões Político-Administrativas (RPAs) do Recife. Além deles, participam também outros 61 observadores da sociedade e alguns convidados.

Para chegar à 15ª Conferência Municipal de Saúde, foram realizadas 24 plenárias microrregionais, entre usuários e trabalhadores, onde foram debatidos temas como controle social, fortalecimento da atenção básica, desenvolvimento das ações estratégicas de vigilância à saúde e melhorias na assistência farmacêutica.

Deixe seu comentário