Siqueira reúne-se com Gleisi e insiste em apoio do PT aos candidatos do PSB nos Estados

A presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), tem um encontro marcado com o presidente do PSB, Carlos Siqueira, na quinta-feira (20) em Brasília, disse o próprio dirigente partidário a Andréia Sadi, do G1.

O cerne da conversa será a aliança entre os dois partidos ao longo de 2022, ano de eleições. Siqueira quer que o PT apoie candidatos do PSB nos estados em troca de uma aliança nacional em favor do ex-presidente Lula (PT), líder em todas as pesquisas eleitorais para retornar ao Palácio do Planalto.

Ele revela descontentamento com o PT por ter feito anúncios públicos de candidaturas próprias em estados nos quais o PSB queria ter a hegemonia, como São Paulo, Espírito Santo e Pernambuco. Para São Paulo, o PT quer Fernando Haddad, para Pernambuco, Humberto Costa, e para o Espírito Santo, Fabiano Contarato.

“Já falei ao Lula que o PT precisa decidir se quer disputar pelo país [contra] um de seus principais aliados ou se quer a nossa ajuda para ganhar a eleição”, afirmou.

Ainda que em São Paulo, por exemplo, pesquisas indiquem o favoritismo de Haddad, Siqueira diz que o PSB não quer fazer escolhas baseadas em pesquisas. “Nosso critério não é pesquisa, se fosse assim a gente apoiaria ACM Neto na Bahia e não Jacques Wagner. Nosso critério é critério político. Outra coisa: a vida não é só eleição, tem o governo depois”.

Sobre o convite feito pelo partido ao ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido) em dezembro, Siqueira disse não ter recebido resposta ainda. Alckmin é cotado para ser o candidato a vice-presidente na chapa de Lula.  “Convidei Alckmin a ingressar no PSB no dia 13 de dezembro, ele não é do PSB ainda, fiz o convite mesmo ele não sendo uma pessoa com perfil de esquerda, mas entendendo que o momento pede essa discussão mais ao centro. Ele tem muitos amigos de esquerda aqui, incluindo eu, mas ainda não nos deu resposta”.

Não há previsão de uma nova conversa entre o PSB e o ex-tucano. “Sei que está conversando com outros partidos, ele vai decidir para onde vai. E, enquanto isso, temos que cuidar da nossa vida”.

Deixe seu comentário