Carnaval do Recife na agenda da presidente

Como parte da estratégia de reaproximar-se das bases eleitorais do Nordeste, a presidente Dilma Rousseff (PT) pode desembarcar em Pernambuco durante o Carnaval. O assunto teria sido tratado durante a conversa mantida entre a presidente e o governador Eduardo Campos (PSB) na última segunda-feira (14), em Brasília. Ainda sem uma confirmação oficial, a expectativa é de que o convite seja reforçado pelo prefeito do Recife Geraldo Julio (PSB) nesta quinta-feira (23), quando terá uma audiência com Dilma no Palácio do Planalto junto com o prefeito de João Pessoa (PB), Luciano Cartaxo (PT).

A possível vinda de Dilma para prestigiar o Carnaval foi ventilada, inicialmente, pelo jornal O Estado de S. Paulo no sábado (18). A versão é de que ela marcaria presença no Galo da Madrugada. A última vez que acompanhou ao desfile do bloco foi no ano de sua eleição, em 2010, ainda como ministra da Casa Civil do governo Lula. Além do Recife, Dilma estaria planejando comparecer também aos festejos em Salvador e no Rio de Janeiro.

Faltando um ano e meio para o início oficial da campanha presidencial, a petista tem dado mostras de que buscará, na reta final do governo, aparecer mais no Nordeste, especialmente em Pernambuco, onde o governador Eduardo Campos (PSB) figura como liderança hegemônica. Não à toa, no início da semana passada ela agendou com o socialista uma visita ao Estado para o dia 18 de fevereiro, após um encontro reservado entre os dois. A agenda completa ainda não foi confirmada, mas segundo informou o próprio Eduardo Campos, o roteiro da presidente deverá incluir a vistoria de obras federais no Sertão pernambucano, atingido pela seca.

Na sexta-feira (18), Dilma esteve no Piauí, onde protagonizou cenas típicas de campanha eleitoral. No município de São Julião, no interior do Estado, ela vestiu até roupa de vaqueiro e foi saudada pelo governador Wilson Martins (PSB) como candidata à reeleição. Até março, a presidente realizará um périplo por outros Estados da região.

Ao mesmo tempo em que tenta neutralizar a influência do governador Eduardo Campos, as visitas também são uma forma de “prestigiá-lo” – além de Pernambuco, o PSB comanda Paraíba, Piauí e Ceará – e “segurá-lo” na base do governo. O governador é tido como possível concorrente de Dilma em 2014. Embora não confirme essa possibilidade publicamente, Eduardo também nunca chegou a descartá-la.

Nesta semana, Dilma faz mais um gesto em direção ao socialista, recebendo, no Planalto, o prefeito do Recife, afilhado político de Eduardo. O gestor prepara uma lista de projetos para debater com a presidente. (JC Online)

 

Blog do Banana

Deixe seu comentário