Dupla Temer-Meirelles continua deixando rastro de destruição: investimento no país é o menor em 8 anos

A cifra de US$ 29,9 bilhões que o Banco Central (BC) divulgou como sendo o montante de investimento direto no primeiro semestre de 2018 é a menor para um primeiro semestre desde 2010, quando US$ 27 bilhões entraram no País. A dupla Temer-Meirelles produziu uma quantidade tal de erros conceituais que a economia brasileira segue não resistindo ao massacre estatístico. Para o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, a eleições de 2018 explicam parte da cautela do capital externo, mas não o conjunto. O temor do mercado é que todos os contratos firmados por um governo ilegítimo corram o risco de serem anulados diante de uma nova realidade institucional pós eleições.

“De acordo com o BC, em junho, o País registrou superávit em conta corrente de US$ 435 milhões. O número – que reflete o saldo de transações do Brasil com o exterior nas áreas comercial (exportações menos importações), de serviços e rendas – foi positivo pelo quarto mês consecutivo. A balança comercial teve superávit de US$ 5,5 bilhões, abaixo dos US$ 7 bilhões de junho de 2017. “Evidências apontam que, nas duas primeiras semanas de junho, houve impacto da greve dos caminhoneiros”, citou Rocha. Com os caminheiros parados, o País exportou menos.

No primeiro semestre, a conta corrente acumulou déficit de US$ 3,6 bilhões. Apesar disso, os US$ 29,9 bilhões de IDP no primeiro semestre foram mais que suficientes para compensar o déficit em transações correntes. O avanço do dólar ante o real fez os brasileiros segurarem os gastos com viagens ao exterior. Dados do BC mostraram que a conta de viagens teve déficit de US$ 1,1 bilhão em junho. O montante, que reflete a diferença entre o que os brasileiros gastaram lá fora e o que os estrangeiros desembolsaram no Brasil, é 2,12% menor que o visto em junho de 2017. Em maio, ele havia ficado em US$ 1,2 bilhão.”

Leia mais aqui.  (247)

Deixe seu comentário