Procon divulga impacto da cesta básica sobre bolso dos pernambucanos

No Grande Recife, preços ficaram praticamente estáveis entre maio e junho (Elio Rizzo/Esp. CB/D.A Press)Quem mora na Região Metropolitana do Recife (RMR) teve de pagar, em média, R$ 243,35 pela cesta básica no mês de junho. Embora a despesa represente quase 40% do salário mínimo (R$ 622), a pesquisa divulgada nesta terça-feira (3) pelo Procon Pernambuco mostra que o valor ficou praticamente estável em relação a maio, com 1,02% de aumento. A entidade de defesa do consumidor visitou 20 supermercados no Grande Recife, medindo o impacto dos preços cobrados por 27 itens de alimentação, limpeza doméstica e higiene pessoal na região.

De acordo com o levantamento, o produto de maior variação nas gôndolas foi o alho (114,66%), cujo valor do quilo variava entre R$ 5,80 e R$ 12,45. A batata inglesa (98,7%) veio em seguida, com preço do quilo entre R$ 1,65 e R$ 3,28. Entre os artigos de higiene pessoal, o de maior variação no mês passado foi o pacote de absorvente (oito unidades): diferença de 128,4% nos preços.

A equipe do Procon também pesquisou o valor da cesta básica em Caruaru (R$ 239,46), Vitória de Santo Antão (R$ 229,22) e Cabo de Santo Agostinho (R$ 243,18). Nos dois primeiros municípios houve ligeira redução no preço do conjunto de itens, de -0,75% e -0,28%, respectivamente. No caso do Cabo, por sua vez, a cesta aumentou 1,06% entre maio e junho.

De acordo com a entidade de defesa do consumidor, a pesquisa toma como base a cesta básica mensal para uma família composta por quatro pessoas, sendo dois adultos e duas crianças. Além dos 20 estabelecimentos analisados na RMR, foram visitados nove estabelecimentos no Cabo de Santo Agostinho, 22 e Caruaru e 12 em Vitória. A pesquisa completa pode ser acessada no site www.procon.pe.gov.br, no link “pesquisa de preços”.

Fonte: Diario de Pernambuco

Blog do Banana

Deixe seu comentário