Trabalhadores Sem Terra ocupam sede do Incra em Petrolina, como forma de protesto nesta terça (20)

Para chamar atenção das autoridades políticas mais de 500 famílias que integram o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) estão realizando um protesto nesta terça-feira (20 fev. de 2018). De forma diferente, os manifestantes resolveram ocupar a sede do Incra (Instituto Nacional de Reforma Agrária), localizado na Avenida da Integração, Bairro Airton Senna, 412 – Jardim Colonial, Petrolina.

De acordo com o Coordenador do MST, no Sertão de Pernambuco, Florisvaldo Araújo, o objetivo do protesto é lutar por uma resposta concreta do Incra sobre alguns pontos da pauta acordados em reunião com e entidade do governo federal para a liberação de terras no Projeto Pontal.

“As famílias dos assentamentos Democracia e Dom Tomaz que estão na área do Projeto Pontal precisam ter uma resposta concreta dos compromissos que foram assumidos pelo Incra e Codevasf de garantir o assentamento de todas as famílias que lá estão”.

Ainda de acordo com o Coordenador do MST no Sertão de Pernambuco, Florisvaldo, no Pontal são mais de 300 hectares que produzem de maneira coletiva alimentos e frutas, como por exemplo, feijão, banana, melancia, macaxeira entre outras. Para ele os cortes no Orçamento Federal previsto para 2018, comprometem diretamente as políticas públicas voltadas para o desenvolvimento da agricultura familiar dos sertanejos do campo.

“Sabemos que esse governo (federal) que aí estar, ‘não tem compromisso com os trabalhadores. Sabemos também da decisão judicial para que desocupemos a área no dia 28 de fevereiro, mas para isso precisamos buscar articulações que garantam a permanência dos trabalhadores assentados no Pontal e, só sair de lá para outra área de produção alimentar real para as famílias” enumerou.       

Deixe seu comentário