Água Para Todos contempla escolas brasileiras

imagemCompletar a carga horária sem interrupção era um sonho antigo de pais e professores de alunos de escolas públicas do semiárido brasileiro. O anseio virou realidade com a instalação de 1.531 cisternas do programa Água Para Todos, que contemplou municípios do Nordeste e norte de Minas Gerais. Até o fim de 2014, mais 3.900 instituições também receberão o benefício.

“Ter acesso à água foi uma das grandes conquistas que tivemos aqui no sertão”, revela Márcio Cordeiro, professor da Escola Municipal Maria Nunes da Silva, situada na comunidade rural Serrote do Algodão, em Alagoas. Ele explica que antes dos reservatórios chegarem, o período escolar era constantemente interrompido, dificultando até mesmo o aprendizado dos estudantes.

“Precisamos de água para tudo, desde o consumo, preparação da merenda e higienização da escola. Sem ela é impossível trabalhar. A chegada da água à escola reduziu a evasão escolar e aumentou o rendimento dos alunos. Além de possibilitar que realizássemos nosso trabalho sem nenhum tipo de imprevisto”, conta o professor.

O diagnóstico é confirmado pela estudante Maria Oliveira, de sete anos. “Não precisamos mais voltar para casa antes da aula acabar. Podemos estudar e brincar, sem preocupação. Ficou mais fácil aprender”, relata. Assim como a menina, mais 54 crianças da instituição foram beneficiadas com a instalação da cisterna.

Coordenado pelo Ministério da Integração Nacional, o Água Para Todos é responsável pela implementação de tecnologias diferenciadas de acesso à água, tanto para consumo, quanto para atividades produtivas. O objetivo do programa é atender 750 mil famílias até o final de 2014, comtemplando a população, instituições escolares e postos de saúde de zonas rurais.

Água para Todos

O Água Para Todos faz parte do Plano Brasil Sem Miséria e reúne um conjunto de ações do governo federal que busca universalizar o amplo acesso e uso de água para consumo humano e para a produção agrícola. O objetivo é oferecer água de qualidade para melhorar a segurança alimentar e nutricional dos moradores do semiárido nordestino.

Assessoria de Comunicação Social

Ministério da Integração Nacional

Blog do Banana

Deixe seu comentário