Análise do primeiro tempo Santa Cruz 2×0 Petrolina

O primeiro tempo começou com as propostas das duas equipes bem claras. Enquanto o Santa tomava as atitudes iniciais da partida explorando as laterais e os cruzamentos na área, o Petrolina se fechava e congestionava o meio de campo tentando impedir a criação de jogadas da equipe da casa.

E no embate das duas estratégias prevaleceu o equilíbrio. O Petrolina conseguia impedir a penetração do Santa Cruz em sua defesa, contudo deixava alguns espaços para os chutes de fora da área. Aos 17 minutos, por exemplo, Diogo encontrou espaço aberto suficiente para arriscar o chute que foi defendido pelo goleiro Jaílson.

Apesar de ser a equipe mais fechada em campo, foi o Petrolina que criou a primeira grande chance de gol na primeira etapa. Aos 21, o Daniel recebeu bola livre da grande área e teve a chance de abrir o placar. No entanto, o atleta sertanejo se afobou e chutou errado a bola que foi cortada pela zaga coral.

E o desperdício tricolor seria castigado logo depois. Aos 26, após cobrança de falta na área, o zagueiro William, que era o estreante da noite, tocou de cabeça e abriu o placar no Arruda para a festa da torcida coral nas arquibancadas.

O gol do Santa Cruz deixou o jogo mais aberto. O Petrolina passou a sair mais para o ataque, enquanto que o Tricolor recifense começou a aproveitar os contra-ataques e espaços que a Fera do Sertão deixava. Em um desses contra-ataques, Dênis Marques quase amplia o placar, após arrancada pela esquerda.

Mas a consagração de Dênis Marques não tardaria. Aos 33, o atacante deixaria o seu após boa jogada trabalhada do Santa Cruz. Carlinhos Bala arrumou a bola na grande área e o atacante só teve o trabalho de chutar forte no canto do goleiro Jaílson que nada pôde fazer para impedir o segundo gol coral. Festa tricolor nas arquibancandas.

Com a boa vantagem no marcador coube ao Santa Cruz apenas administrar o restante do primeiro tempo para descer para os vestiários. A tarefa do Santa foi facilitada já que o Petrolina pouco ofereceu de risco aos corais.

Fonte: Blog do Torcedor

Blog do Banana

Deixe seu comentário