Brasil terá 95 hospitais para aborto de anencéfalos até o final deste ano

Até o final deste ano o Brasil terá mais 30 hospitais, além dos atuais 65, qualificados para realizar aborto de fetos anencéfalos (sem cérebro), segundo o Ministério da Saúde.

As unidades hospitalares atendem ao SUS (Sistema Único de Saúde) e seus endereços não são divulgados para que a intimidade da paciente seja garantida, bem como para evitar constrangimento à equipe médica responsável pelo procedimento.

Segundo o ministério, esses 65 hospitais já realizam aborto nos casos previstos até agora na lei – em casos de estupro e risco de morte à mãe.

Os ministros do STF decidiram na noite desta quinta-feira (12), por maioria absoluta, 8 votos a 2, que o aborto de fetos anencéfalos (com má-formação no cérebro) não pode ser considerado crime. A decisão saiu depois de dois dias de julgamento, já que o processo começou a ser analisado na última quarta (11).

Esther Vilella, coordenadora da área técnica da saúde da mulher do ministério, falou sobre a capacitação de profissionais e mais 30 centros de saúde.

— Acreditamos que esse aumento ajudará a atender o crescimento da demanda. […] Estimamos em mil as gestações anuais de fetos com anencefalia.

Em 2011 foram feitos nos centros espalhados pelo País 1.680 abortamentos legais. O governo reconhece que, com a decisão do STF, a procura crescerá, mas não a ponto de sobrecarregar o sistema de forma importante. Quando a gravidez ultrapassa 22 semanas, médicos realizam a chamada antecipação do parto.

— Qualquer hospital público que tenha profissionais preparados poderá atender a mulher.

Até hoje, a Justiça autorizou cerca de 10 mil abortos em casos de gestações de fetos com anomalias incompatíveis com a vida – na maioria dos casos, por anencefalia.

— Nos casos de aborto tardio, os cuidados devem ser maiores, daí a necessidade do preparo dos médicos.

O presidente da Associação Brasileira de Medicina de Grupo, Arlindo Almeida, afirmou que planos de saúde também farão o atendimento.

— Vamos aguardar somente a publicação da decisão do STF.

Atualmente, as operadoras de saúde já autorizam a interrupção da gravidez nos casos previstos em lei. Também atendem mulheres que precisam fazer a antecipação do parto.

Veja quantos hospitais fazem o procedimento por Estado:

Acre – 02

Alagoas – 01

Amazonas – 03

Amapá – 01

Bahia – 01

Ceará – 09

Distrito Federal – 01

Espírito Santo – 01

Goiás – 01

Maranhão – 04

Minas Gerais – 05

Mato Grosso – 03

Mato Grosso do Sul – 01

Pará – 02

Paraíba – 01

Pernambuco – 05

Piauí – 02

Rio de Janeiro – 01

Rondônia – 02

Rio Grande do Sul – 04

Rio Grande do Norte – 01

Santa Catarina – 01

Sergipe – 01

São Paulo – 11

Tocantins – 01

Fonte: R7

Blog do Banana

Deixe seu comentário