Cachoeira não irá se pronunciar se ficar sem acesso irrestrito, diz defesa

 (José Varella/CB/D.A Press)O bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, envia sinais de que deverá permanecer em silêncio durante depoimento na CPI, marcado para a próxima terça-feira (15/5). Nessa segunda (7/5) à tarde, o advogado Márcio Thomaz Bastos, que defende o bicheiro, deixou claro que seu cliente não vai se pronunciar se não tiver acesso irrestrito aos autos dentro de um período considerado razoável. Bastos, que foi ministro da Justiça do governo Lula, chegou de surpresa ao Senado. Reuniu-se com o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), para pedir todo o material referente às operações Monte Carlo e Vegas e tentou o adiamento do interrogatório. O pedido ainda vai ser submetido aos integrantes da comissão.

“Pedimos acesso aos autos antes que ele venha aqui. Se isso não ocorrer, ele não tem condições de prestar depoimento. A imprensa tem mais informação do que eu. Por isso, se não tiver acesso aos autos, ele pode se refugiar no seu direito de ficar em silêncio para não se incriminar.” A ação do advogado é uma estratégia para tentar esperar o julgamento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em relação ao habeas corpus impetrado em favor de Cachoeira. Desta maneira, haveria a possibilidade de o contraventor não ser ouvido na condição de réu preso, o que evitaria a possibilidade de ser visto algemado e com vestes prisionais.

Fonte: Correio Braziliense

Blog do Banana

Deixe seu comentário