Carta Aberta ao(à) Professor(a)

Pensar em educação sem considerar a importância dos movimentos sindicais em defesa da causa, seria, no mínimo, ingênuo.

Conhecedora que sou da luta pelo reconhecimento a esses profissionais que se dedicam dia e noite ao trabalho de transformação social, e, apesar de tantos avanços já conquistados, diria que a sociedade ainda não reconhece a dívida histórica que tem para com seus professores, profissionais que assumem importante missão na vida das crianças, jovens e adultos do nosso país.

Apesar dessa longa dívida histórica, gostaria de ressaltar aqui a confiança que milhares de pais depositaram em nós pela missão de ensinar seus filhos e filhas, transformando-os em futuros cidadãos e cidadãs e confirmar, assim, a importância do papel do professor na sala de aula para a garantia do direito de aprender que se efetiva através da aula, das atividades pedagógicas articuladas e mediadas por nós professores e professoras.

Destaco aqui que, nesta gestão, o nosso foco é a qualidade e para isso considero importantes: a valorização profissional e o respeito ao professor, quem concretiza, de fato, as Políticas Educacionais. Por isso, algumas ações foram imprescindíveis nesse processo de construção da qualidade na educação. A saber:

Ø Aquisição de telas interativas para todas as Unidades Escolares;

Ø Entrega de Kit Tecnológico para professores efetivos;

Ø Investimento no processo de alfabetização;

Ø Ampliação de acesso à educação, através do Programa Nova Semente;

Ø 13% Salário e vale transporte para  professor contratado;

Ø 17 escolas com tempo Integral;

Ø 99% das escolas com laboratórios de informática;

Ø Construção de mais de 150 salas de aula;

Ø Mais de 41 escolas/CMEIs reformados;

Ø Melhoria na qualidade do ensino e da aprendizagem com foco na formação, assessoria pedagógica de professores de Português e Matemática;

Ø Ampliação de 37 para 102 Coordenadores pedagógicos;

Ø Fortalecimento do NAPPNE, através do acompanhamento e intervenção pedagógica e da  criação de uma equipe multidisciplinar com pedagogas, fonoaudióloga, psicólogas e assistente social;

Ø Melhoria da EJA Rede, através do empreendedorismo;

Ø Implantação do Programa Jovem de Futuro, na perspectiva de possibilitar aos estudantes a continuidade dos estudos e o sucesso na escola e na vida;

Ø Criação da Revista Contexto;

Ø Promoção da Formatura Coletiva do Ensino Fundamental para mais de 1.000 alunos, entre outras.

Nesse sentido, sem desmerecer a importância dos movimentos sindicalistas em favor da categoria, afirmo a necessidade de não interrompermos a rotina escolar, considerando a lei dos 200 dias letivos e, sobretudo, o compromisso que temos assumido perante a sociedade de garantir o “Direito de aprender de todos os estudantes”, a fim de não comprometermos também o recesso escolar do mês de julho, descanso tão merecido ao professor.

Sendo assim, reafirmo que nos dias 14, 15 e 16, do corrente mês, todas as escolas da rede municipal de ensino estarão funcionando normalmente e que, a participação nos movimentos sindicalistas, importantes instrumentos de mobilização, pode e deve acontecer, mas sem comprometer os dias letivos, nem o recesso escolar, uma vez que a participação pode se dar por representação.

Portanto, conto com sua sensibilidade e com seu profissionalismo dedicado à rede municipal de ensino e, sobretudo, com sua compreensão.

 Célia Regina Gonçalves da Silva Carvalho

Secretária Municipal de Educação

Blog do Banana

Deixe seu comentário