Centro Estadual de Combate à Homofobia recebe Prêmio Nacional pelo trabalho de promoção à diversidade

imagemO Coordenador do Centro Estadual de Combate à Homofobia, CECH, Rhemo Guedes, recebe, nesta quinta-feira, 01, em São Paulo, o prêmio “Cidadania em Respeito à Diversidade”, da Associação da Parada do Orgulho LGBT, APOGLBT, de São Paulo, que esse ano está na sua 14º edição.

O prêmio é um reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo centro com a peça “Priscilas, um grito contra a Homofobia” que percorreu o estado, em 2013, com 21 apresentações, debatendo o tema da Homofobia de forma lúdica, por meio da linguagem do teatro, durante as Jornadas e Semanas Estaduais de Direitos Humanos.

Os eventos são iniciativas da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, SEDSDH, através da Secretaria Executiva de Justiça e Direitos Humanos, SEJUDH.

O coordenador do CECH, Rhemo Guedes, destaca o compromisso do Governo do Estado de interiorizar o debate sobre a temática da diversidade em todo Pernambuco. “Priscilas” é parte da agenda programada pelo Centro de Combate à Homofobia para dialogar com a sociedade.

Ainda segundo Rhemo, o prêmio se estende a todo o público LGBT de Pernambuco. “No contexto de violações a que estão submetidos as Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, “Priscilas”, se apresenta como um instrumento diferenciado de mobilização da sociedade para o fim da homofobia, entendendo-se que esta é uma das realidades que mais fortemente resiste e desafia a temática dos Direitos Humanos”. Acrescenta. 

O espetáculo “Priscilas, um grito contra a Homofobia” tem texto de Jeferson Nascimento, que também participa da peça e diz ter conseguido o objetivo desejado, o de levar informação as pessoas, despertar para o respeito e o combate a homofobia. “A receptividade foi muito boa por onde passamos. Fomos vistos por pastores evangélicos, pais, mães, jovens”. A direção da peça é de Júnior Barros. E parceria com o Grupo JN Cênicas.

Entre as atividades de mobilização do CECH nas Semanas e Jornadas de Direitos Humanos, destacam-se ainda: oficinas de saúde e educação com o público LGBT, concurso de talentos, seminários e debates. No ano passado 7.000 pessoas foram alcançadas em todas as ações.

Assessoria de Imprensa e Comunicação

Secretaria Executiva de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco

Deixe seu comentário