Cesta básica mais cara na Região Metropolitana do Recife e no Interior

A cesta básica ficou mais em Pernambuco. Pesquisa mensal do Procon-PE registrou que a cesta aumentou 0,27% na Região Metropolitana do Recife (RMR), 1,38% em Caruaru e 2,03% no município de Vitória de Santo Antão. Já o Cabo de Santo Agostinho foi a única cidade que apresentou queda (0,01%), mas, ainda assim, é a cesta básica mais cara, R$ 243,14.

Segundo o Procon-PE, o vilão foi o feijão, que de janeiro a abril sofreu um aumento de 40%. O quilo do produto está variando 93,23% na RMR (de R$ 3,10 a R$ 5,99), 121,28% em Caruaru (de R$ 2,35 a R$ 5,20) e 86,98% em Vitória de Santo Antão (de R$ 3,15 a R$ 5,89). Outros produtos que variaram bastante foram os de higiene pessoal, como, por exemplo, o pacote de absorvente na RMR subiu até 186,67%, o pacote de papel higiênico em Caruaru teve elevação de 165,31% e o tubo de creme dental em Vitória de Santo Antão subiu 89,52%.

O preço médio da cesta básica na RMR foi de R$ 238,48. Em Caruaru ela ficou por R$ 233,45 e em Vitória de Santo Antão R$ 228,80. O Procon-PE calculou também o impacto do valor da cesta básica no salário mínimo atual: na RMR foi de 38,34%, em Caruaru 37,58%, em Vitória 36,78% e no Cabo de Santo Agostinho 39,09%.

O levantamento foi realizado em 20 estabelecimentos da RMR – Recife, Olinda, Paulista e Abreu e Lima, nove no Cabo de Santo Agostinho, 22 em Caruaru e 12 em Vitória de Santo Antão. A análise dos preços foi feita nos 27 itens de maior participação na variação do valor médio da cesta, entre alimentação, limpeza doméstica e higiene pessoal.

Fonte: Folha-PE

Blog do Banana

Deixe seu comentário