Cientistas e pesquisadores do Brasil e do exterior estarão em Juazeiro para conhecer resultados do Projeto Aedes Transgênico

Esta semana mais de 30 cientistas brasileiros e estrangeiros, pesquisadores vindos do exterior – Universidade da Califórnia, EUA, Hospital Sant Michael, Toronto, Canadá, Universidade de Cambrige, Inglaterra, Universidade de Perugia, Itália e do Brasil – UFBA, UFMG, UNB, Fiocruz, USP, Ministério da Saúde, estarão em Juazeiro, norte da Bahia, para conhecer os resultados obtidos pela Biofábrica Moscamed Brasil após um ano de inicio e implantação do Projeto Aedes Transgênico – PAT. O Workshop Internacional do PAT será realizado nos dias 28 e 29 de março no Auditório Multi Eventos da Universidade Federal do Vale do São Francisco – Univasf.

O objetivo é apresentar todo o relatório de atividades e conclusões para a comunidade científica nacional e internacional e gestores de saúde do Brasil e do exterior. Durante a programação serão apresentadas as experiências na comunidade de Itaberaba e o inicio das atividades no Projeto Mandacaru I, ambos em Juazeiro. O programa é desenvolvido no Vale do São Francisco em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) e a empresa Oxitec, com o apoio do Governo da Bahia, através da Secretaria Estadual de Saúde (SESAB) e de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI), através do INOVATEC.

De acordo com o diretor da Moscamed Aldo Malavasi, o evento tem significativa relevância científica e tecnológica. “Não só para o estado da Bahia como para o Brasil, pois reunirá cientistas renomados dos Estados Unidos, Itália, Canadá, U.K., Quênia, Etiópia e Burkina Fasso, que apresentarão e discutirão as ações e pesquisas de combate à dengue”, completou. O evento contará com tradução simultânea e terá o apoio de agências de fomento, instituições e órgãos de pesquisa como CNPq, FAPESB – Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado da Bahia, e National Institutes of Health – NIH dos EUA.

Segundo Malavasi, outros países também realizaram testes com os mosquitos transgênicos a exemplo das Ilhas Cayman e Malásia, os primeiros que fizeram uma liberação de mosquitos transgênicos, porém de forma limitada. Os experimentos aqui realizados se constituem na maior experiência mundial de liberação controlada em campo aberto com a liberação de 10,8 milhões de insetos.

Iana Lima Ascom

Blog do Banana

Deixe seu comentário