Cobertura de depoimento de Cachoeira terá esquema especial

depoimento do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, na próxima terça-feira (15), às 14h, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista que investiga suas conexões com agentes públicos e privados, será cercado de cuidados pelo Senado Federal.

Cachoeira está preso na Papuda, em Brasília, em conseqüência da operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que apontou uma extensa rede de influência do bicheiro junto a políticos, servidores públicos e empresários. A PF apontou a ligação dele com o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), que em decorrência enfrenta um processo disciplinar no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar.

O Senado preparou um esquema especial de segurança e de acesso dos órgãos de imprensa à Casa, dado o grande interesse na cobertura. Os jornalistas credenciados para cobrir o depoimento deverão obter o adesivo especial distribuído pela Polícia Legislativa. O acesso à sala do depoimento só será feito com o adesivo, inclusive para assessores, um para cada bancada partidária da Câmara e do Senado.

Os que não conseguirem acesso à Sala 2, onde se dará o depoimento à CPI, poderão acompanhá-lo por meio de um telão instalado na Sala 3, da Ala Nilo Coelho, que também terá um sistema de áudio direto.

Os veículos de comunicação do Senado – TV, rádio, agência e jornal – terão o total de 11 credenciais para cobrir o depoimento de Cachoeira. Os jornalistas do Senado que participarão da cobertura também devem se dirigir à Polícia Legislativa, apresentar o crachá de identificação e obter o adesivo especial.

Agência Senado

Deixe seu comentário