Corpos de vítimas de incêndio na Antártida chegam ao Rio

Os corpos do suboficial Carlos Alberto Vieira Figueiredo e do sargento Roberto Lopes dos Santos, vítimas do incêndio ocorrido na madrugada de sábado (25) na Estação Antártica Comandante Ferraz, base brasileira na Antártida, chegaram ao Rio de Janeiro por volta das 9h desta terça-feira (28). O avião da FAB (Força Aérea Brasileira) desembarcou na base do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, na Ilha do Governador, na zona norte da cidade, após oito horas de viagem.

A aeronave saiu do Brasil rumo ao Chile na noite do domingo (26) e no fim da manhã de segunda (27) seguiu para a Base chilena Eduardo Frei, na Antártida, para buscá-los. Na mesma aeronave seguiram sete peritos da Marinha encarregados de analisar a causa do incêndio na base brasileira.

Ainda na base aérea do Galeão, as vítimas serão homenageadas em cerimônia na manhã desta terça com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer.

Familiares aguardaram a chegada dos militares no hangar do aeroporto. De lá, os corpos serão levados para o IML (Instituto Médico Legal) do Rio.

O voo com 41 brasileiros que estavam na base da Marinha na Antártida no momento do incêndio chegou na madrugada desaa segunda-feira ao Rio de Janeiro. A equipe que desembarcou é formada por 26 pesquisadores, 12 operários do arsenal da Marinha, um alpinista, um funcionário do Ministério do Meio Ambiente e um militar ferido, o Primeiro-Sargento Luciano Gomes Medeiros.

De acordo com a Marinha do Brasil, Medeiros foi transferido para o Hospital Naval Marcílio Dias (no Rio), onde permanece em tratamento e observação, com estado de saúde estável.

70% destruído

De acordo com a Marinha, o chefe da estação e mais três integrantes do grupo já retornaram à base para uma avaliação inicial dos danos. De acordo com essa avaliação preliminar, aproximadamente 70% das instalações foram destruídas pelo fogo.

O prédio principal da base, onde ficavam a parte habitável e alguns laboratórios de pesquisas, foi completamente atingido pelo incêndio, tendo permanecidos intactos os refúgios (módulos isolados para casos de emergência), os laboratórios (de meteorologia, de química e de estudo da alta atmosfera), os tanques de combustíveis e o heliponto da estação, que são estruturas isoladas do prédio principal.

A Estação Antártica Comandante Ferraz completou 30 anos em janeiro deste ano. A estação brasileira foi instalada na Baía do Almirantado, localizada na Ilha Rei George, em1984. A partir de 1986, passou a ser ocupada anualmente por pesquisadores e militares da Marinha do Brasil, podendo acomodar até 58 pessoas. A estação tem laboratórios destinados às ciências biológicas, atmosféricas e químicas.

Fonte: R7.com

Blog do Banana

Deixe seu comentário