Desemprego cresce pelo 2º mês seguido e supera 10% em fevereiro

O nível de desemprego no Brasil subiu pelo segundo mês consecutivo, chegou a 10,1% em fevereiro e atingiu o maior nível desde setembro de 2011, de acordo com a PED (Pesquisa de Emprego e Desemprego) divulgada pela Fundação Seade e pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) nesta quarta-feira (28).

A PED leva em conta os dados do emprego em sete regiões metropolitanas brasileiras: Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Salvador, São Paulo e Distrito Federal.

Apesar do aumento da taxa, o desemprego ficou abaixo dos 10,5% registrados no mesmo mês de 2011. Entre janeiro, quando o desemprego ficou em 9,5% do total, e fevereiro de 2012, o Brasil ganhou mais 137 mil desempregados.

O crescimento do número de desempregados se deveu, segundo o Dieese e à Fundação Seade, ao fechamento de 107 mil vagas de emprego e ao ingresso de 30 mil brasileiros no mercado de trabalho.

Agora, o país tem 2,248 milhões de pessoas sem emprego, dos 22,3 milhões que fazem parte da PEA (População Economicamente Ativa). Isso quer dizer que há pouco mais de 20 milhões de brasileiros empregados no país, segundo os dados de fevereiro.

Salário

O rendimento médio real dos trabalhadores recuou 2,2% entre janeiro e fevereiro e chegou a R$ 1.143. No caso dos assalariados, a diminuição do salário real foi de 0,9%, o que fez a remuneração mensal atingir a marca média de R$ 1.513 no mês passado.

Regiões metropolitanas

O percentual de desempregados aumentou em todas as regiões metropolitanas, com exceção de Belo Horizonte e Recife, onde se manteve estável. Salvador continua com a maior taxa de desemprego, que passou de 15% em janeiro para 15,8% em fevereiro.

A segunda pior marca pertence ao Distrito Federal, onde o desemprego aumentou de 11,5% para 12,4%. Apesar da manutenção da taxa em 11,9% nesta comparação, Recife aparece na terceira colocação.

Em São Paulo, a taxa subiu de 9,6% para 10,4% em fevereiro, o que coloca a capital paulista no quarto lugar. Em Fortaleza, o desemprego passou de 8,1% para 8,5% na comparação mensal.

Apesar de subir de 6,5% para 7%, a taxa de desemprego em Porto Alegre é a segunda menor. Por fim, Belo Horizonte tem o menor percentual de desempregados do país, com 5,1% em fevereiro (mesmo patamar de janeiro).

Por setor

A desocupação aumentou sobretudo nos serviços, que cortou 140 mil postos de trabalho entre janeiro e fevereiro. A indústria também observou queda na ocupação, ao fechar 20 mil empregos.

Por outro lado, diminuiu o desemprego no comércio, que criou 11 mil postos de trabalho em fevereiro, na construção civil, que absorveu 26 mil trabalhadores, e nos outros ramos de atividade e serviços domésticos, categoria que computou 16 mil vagas a mais em fevereiro.

Fonte: R7

Blog do Banana

Deixe seu comentário