Eduardo Campos precisa convencer João Lyra sobre sucessão em PE

imageO clima político começa esquentar em torno do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com relação à sucessão Estadual em outubro de 2014. Eduardo Campos tem um grande desafio pela frente, que é de convencer o vice-governador João Lyra Neto (PSB), que assumirá o comando do Estado em 4 de abril – de que ele não será o candidato escolhido para concorrer ao Palácio do Campo das Princesas. Durante os últimos meses, o vice-governador não foi ouvido em absolutamente nada no que diz respeito à eleição.

O Jornalista Magno Martins através de sua coluna diária escrita em seu Blog, afirmou neste sábado (11), que Eduardo Campos só trata com João Lyra Neto questões administrativas, como por exemplo, a recente reforma do secretariado, mas não abre o diálogo quanto ao que pensa em relação ao seu candidato. “O que Lyra tem sabido é o que está na mídia, porque este assunto ainda é um grande tabu na relação dele com o governador” – desabafou ao Blog do Magno uma fonte bem próxima ao vice-governador.

De acordo com o jornalista, essa mesma fonte desmente a versão de que corre solta em Pernambuco de que João Lyra Neto tem horrores ao secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar, não abdicaria da disputa em nenhuma hipótese para ele, mas se conformaria, em última instância, com a alternativa Paulo Câmara, atual secretário da Fazenda, caso não fosse possível reverter o processo em seu favor. O vice-governador ficou irritado com a versão, também, do Jornal do Commercio, ontem (10), de que se contentaria com a reeleição da sua filha, a deputada Estadual Raquel Lyra, como prêmio de consolação.

“Só quem não conhece João Lyra diria algo tão desproposital” – disse um parlamentar governista que convive de perto com o vice-governador. Pelo que parece, João Lyra Neto alimentou durante todo esse tempo, grande expectativa em ser o candidato escolhido por Eduardo Campos que, a esta altura, rifá-lo será uma operação tão complexa quanto à unidade da base governista em torno do candidato apresentado pelo governador de Pernambuco. Para Magno Martins, o vice-governador ainda está tendo no momento um comportamento de cordeirinho, que tende a virar lobo, porque ainda não tem o poder da caneta, que conquistará em abril. É mais do que verdadeira a versão de que o homem só é conhecido na sua plenitude quando conquista o poder. O Lyra de hoje pode não ser o Lyra após o 4 de abril. (Brasilnet Noticia)

Blog do Banana

Deixe seu comentário