Espaço do Leitor: Vereadores rejeitam vale estudantil de R$ 100 para alunos de Petrolina, mas não abrem mão da diária de R$ 700

Meu amigo, Blogueiro Ricardo Banana,

Sou um contribuinte do município de Petrolina e leitor assíduo deste importante Blog, gostaria de expressar minha indignação com a postura de alguns membros da Câmara de Vereadores de Petrolina, durante a reunião plenária da terça (28). Para evitar perseguições políticas e demagogia nas redes sociais, peço que não coloque meu nome, me deixando anônimo no texto que se segue:

Na sessão remota da Câmara de Vereadores de Petrolina, realizada na última terça (28), a Bancada Oposicionista, que também é cheia de empecilhos e estrelas, enfim, propôs por meio de emendas, de que o valor do VAE (Vale Assistencial Estudantil), que será distribuído entre os alunos da rede municipal de ensino, a partir deste mês de agosto, fosse de R$ 100, 00. Mas os aliados do prefeito Miguel Coelho, da Bancada Governista, rejeitaram a proposta e atenderam ao pedido do gestor que propôs o VAE de apenas R$ 50,00.

No entanto, seria importante que alguns membros do Legislativo Petrolinense, fiéis à gestão do Novo Tempo, explicassem por que uma diária de um parlamentar custa R$ 700,00 e os alunos que estão passando necessidades neste período da pandemia só devem receber R$ 50,00?

Entre os vereadores de Petrolina, o que se observa é que são poucos os legisladores que abrem mão da diária gorda da Câmara, cito como exemplo, o vereador Gaturiano Cigano que termina o mandato sem receber uma diária do parlamento. Para reflexão daqueles que têm fome de poder, tenta passar o mês com apenas R$ 50, 00 no bolso? Sabemos que a Câmara não pode criar Projetos de Lei que oneram o município, mas na crise da pandemia deveria existir a exceção já que a prefeitura está recebendo verbas dos Governos Federal e Estadual e tem dinheiro de sobra no caixa.

Deixe seu comentário