Incêndio em base brasileira na Antártida mata dois militares

Foram encontrados na tarde deste sábado (25, horário de Brasília) os corpos dos dois militares brasileiros que estavam desaparecidos após o incêndio na Estação Antártica Comandante Ferraz, base brasileira na Antártida.

A informação foi confirmada por uma nota do Ministério da Defesa, que informa que o ministro Celso Amorim ficou sabendo que os corpos foram encontrados pelo almirante-de-esquadra Júlio Soares de Moura Neto.

Morreram no incêndio o suboficial Carlos Alberto Vieira Figueiredo e o sargento Roberto Lopes dos Santos. A Força Naval, diz a nota, enviará uma equipe de peritos para confirmar oficialmente a identidade dos corpos.

Um terceiro integrante da estação brasileira, o primeiro-sargento Luciano Gomes Medeiros ficou ferido e foi transferido para a base Eduardo Frei, no Chile. O incêndio na estação começou durante a madrugada e o chefe da estação e os integrantes do grupo-base, também foram transferidos para a base chilena.

Mais de 40 pessoas estavam na estação no momento do incidente. Os pesquisadores e os colaboradores também foram transferidos para a base chilena, de onde partirão em aeronave da Força Aérea Argentina para a cidade de Punta Arenas, no Chile.

O avião da FAB (Força Aérea Brasileira) que vai resgatar militares e pesquisadores que trabalham na estação vai sair da Base Aérea do Galeão na tarde deste sábado (25), com destino a Punta Arenas, no Chile.

A Estação Antártica Comandante Ferraz completou 30 anos em janeiro deste ano. A estação brasileira foi instalada na Baía do Almirantado, localizada na Ilha Rei George, em1984. A partir de 1986, passou a ser ocupada anualmente por pesquisadores e militares da Marinha do Brasil, podendo acomodar até 58 pessoas. A estação tem laboratórios destinados às ciências biológicas, atmosféricas e químicas.

Fonte: R7.com

Publicado às 20:30

Deixe seu comentário