Julios no futebol de Pernambuco e o dinheiro público para Petrolina, Vasco e Flamengo. No meio do caminho, ex-presidente ‘mandão’ da Compesa que assume a Chesf

O futebol de Petrolina esteve sob vigilância política de diferentes partidos nos últimos dias. Por ter escalado com a camisa de número 15 um jogador chamado Julio, o Petrolina foi acusado de está sendo usado para fazer propaganda fora de hora para o prefeito Julio Lossio. Outra polêmica envolveu o apoio financeiro de R$300 mil dado ao time pela prefeitura. Porém, em outros estados e com outros clubes, o dinheiro do contribuinte já foi, e é usado, para bancar estrelas do Flamengo e do Vasco. Em Salvador, time construiu estádio com terreno doado pelo prefeito. Em Recife, Sport também bota em campo um Julio que joga com a 15.

O Sporte Club Recife também tem no elenco um Julinho, que joga com a camisa 15. O atleta, de nome Julio Cesár Godinho Catole atuou em algumas partidas do campeonato Pernambucano. Uma delas foi contra o Náutico no dia último dia 22 de abril. O lateral esquerdo do Leão da Ilha foi apresentado pelo clube no dia 6 de março deste ano.

Outro Júlio, esse do Petrolina, foi alvo de polêmicas que envolveram também o seu xará Julio Lóssio, prefeito da cidade. Ouve denúncia de que o Lossio teria feito propaganda política fora de hora, já que o boleiro participou de alguns jogos com a camisa 15, mesmo número do PMDB, partido do gestor municipal.

O caso foi parar na justiça, motivado também pelo apoio financeiro no valor de R$300 mil dado pelo município ao clube de mesmo nome. O Petrolina Social Futebol Clube este ano vai disputar a série D do Campeonato Brasileiro.

A contribuição pública de prefeituras a times particulares não é raro. Para a construção do seu estádio, conhecido com Barradão, o Esporte Clube Vitória recebeu o terreno de Clériston Andrade, então prefeito da capital baiana. Em 1999, o clube vestia camisa com patrocínio comemorativo dos 450 anos de Salvador.

Vasco – Os que criticam o apoio financeiro dado ao Petrolina, com certeza não torcem para o Vasco da Gama. O time cruz maltino tem como patrocinador máster a Eletrobrás. Uma das empresas, também pública, veiculada ao grupo nacional é a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). Em bom português, boa parte do dinheiro que entra no Vasco sai do bolso do torcedor do Petrolina, do Araripina…

O presidente da Chesf, João Bosco de Almeida, foi indicado ao cargo pelo governador Eduardo Campos. A indicação casou revolta entre os funcionários da Companhia. De acordo matéria publicada no site Bahia Negócios, “funcionários da Chesf iniciaram um movimento, visando barrar a indicação do ex-presidente da Compesa, acusando-o de, em 2010 ser denunciado por demissão discriminatória e assédio moral contra trabalhadores feita ao Ministério Público do Trabalho/ Procuradoria Regional do Trabalho da 6ª Região”.

Flamengo O mesmo vinculo entre um time privado e uma estatal aconteceu durante anos com outro grande do Rio. Quem nunca viu uma camisa do Clube de Regatas Flamengo com a logomarca da Petrobras? No caso da Chesf, que retira energia do nosso rio São Francisco, seria interessante patrocinar o Petrolina, o Juazeiro e tantos outros times regionais, dividindo entre vários clubes o dinheiro que é de várias torcidas.

Blog do Banana

Deixe seu comentário