Leninha solta o verbo e quer medida que proteja trabalhadores rurais que continuam no campo, mesmo após pandemia do Coronavírus

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Assalariados Rurais de Petrolina (STTAR), Lucilene Lima (Leninha), está na bronca com o prefeito Miguel Coelho que até o momento não tomou nenhuma medida que proteja a categoria diante da preocupação com a pandemia do Coronavírus.

A medida do governo do estado, ainda não apareceu também. Ela frisa que o mesmo não ocorre em Juazeiro-BA, pois o prefeito Paulo Bomfim já determinou a quarentena para os trabalhadores e trabalhadoras do campo na vizinha cidade baiana.

Petrolina e Juazeiro contam com três casos confirmados ddo Covid-19, todos que contraíram o vírus fora do país, mas são já alguns casos suspeitos que deixa a dirigente sindical, apreensiva e buscando caminhos que deixe o trabalhador e trabalhadora do campo em Petrolina, protegidos.

“É um momento preocupante essa pandemia e nós ainda não tivemos nenhuma sinalização por parte do prefeito Miguel Coelho, a construção de uma saída que proteja nossos trabalhadores e trabalhadoras ruais. Nem o governo municipal nem o estadual incluíram nossa categoria nos decretos. Nós que somos a mola mestra da economia do Vale do São Francisco, queremos agora pautar a vida de nossos trabalhadores. Não tivemos nenhuma ligação do prefeito que pautasse nossa categoria”, detalhou Leninha.

Mas em contrapartida, houve uma conversa com o Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina, na segunda, 23, onde ela disse que juntos, ficaram de evitar que os trabalhadores e trabalhadoras possam estar vulneráveis.

“A gente entregou a nossa pauta ao sindicato patronal e nesta quarta, 25, vamos voltar a nos reunir para definir alguns precauções que protejam toda a categoria. Pode até afetar a economia do vale, mas precisamos proteger a vida de nossos trabalhadores e trabalhadoras do campo”, concluiu Leninha.

Deixe seu comentário