Médicos da Univasf farão greve por mais recurso

imageMédicos da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), em Petrolina, a 700 quilômetros do Recife, anunciaram que entrarão em greve por tempo indeterminado a partir da próxima sexta-feira (24). A paralisação acontecerá devido ao atraso nos repasses de verbas federais à unidade, prejudicando a qualidade do atendimento no hospital e acarretando atrasos no pagamento dos salários dos profissionais. No próximo dia 28 uma nova assembleia será realizada para avaliação do movimento. De acordo com a Univasf, o montante não repassado pelo Governo Federal é de aproximadamente R$ 3 milhões.

De acordo com o 1º Vice-Presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Carlos Vital, a situação no município do Sertão pernambucano reflete a condição enfrentada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Petrolina é mais uma prova de que, além da falta de recursos para a saúde, a gestão falha em administrar de forma adequada o pouco que se tem”, criticou Vital ao Blog de Jamildo. O vice-presidente acompanha a situação por meio do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe).

“As entidades médicas têm denunciado esses equívocos na execução das políticas, projetos e programas na área da saúde”, continuou. “Não podemos permitir que essas situações prejudiquem os profissionais que realizam esses atendimentos e a população, já tão penalizada”, declarou Vital.

A categoria também reclama da falta de compromisso do Governo Federal com a população que depende dos serviços do hospital. Com a paralisação, consultas, exames e outros procedimentos eletivos serão suspensos. Continuarão funcionando, entretanto, a chamada “área vermelha” e a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do hospital.

De acordo com um documento realizado pela Univasf, o montante não repassado pelo Governo Federal é de aproximadamente R$ 3 milhões e teria sido utilizado para compor o superávit primário de 2013. (Brasil247)

Blog do Banana

Deixe seu comentário