Mulher internada no Tricentenário, em Olinda, pode ter “Mal da Vaca Louca”

A mulher de 54 anos internada no Hospital do Tricentenário de Olinda pode ter mesmo uma variação de doença priônica. A hipótese foi confirmada nos exames feitos com as amostras de sangue da paciente. O diretor do hospital, Gil Brasileiro, explica que a confirmação final só poderá ser feita através do exame imunohistoquímico, no pós-morte da paciente.

Assim como outras patologias, o Mal da Vaca Louca é uma doença priônica, que atinge o sistema nervoso central. A doença priônica pode se dá em quatro formas, iatrogênica, familiar, variante e esporádica. A primeira é um resultado de um procedimento neurocirúrgico, a segunda é hereditária, já a terceira é pela ingestão de carne bovina contaminada. A quarta forma e mais comum no Brasil é a esporádica.

Os cientistas ainda não sabem o que causa da forma esporádica da doença, mas já se sabe que não é contagiosa. “A forma esporádica só é confirmada após as outras três já serem totalmente investigadas”, conta Brasileiro. Apesar de terem sintomas praticamente iguais, as doenças são diferentes. Em Pernambuco, foram registrados 11 pacientes com quadro clínicos suspeitos, mas houve a confirmação de apenas cinco casos, todos da forma esporádica.

Hoje, a paciente está estável, respira espontaneamente e está em coma. Apesar disso, segundo a médica Izabel Ferraz, que recebeu a mulher no hospital, não há necessidade da administração de antibióticos.

Fonte: Folha-PE

Blog do Banana

Deixe seu comentário