NADA SOBRE NÓS SEM NÓS

Cada ” Dia Internacional das Pessoas com Deficiência” escolhe um tema especial para o ano. O tema estabelecido, no dia 3 de dezembro de 2004, foi aquele já internacionalmente consagrado: “Nada Sobre Nós Sem Nós” (Nothing About Us Without Us”).

Dito isto, elimina-se a idéia de que esta frase foi criada por alguém daqui de Petrolina, como costumam, algumas pessoas, até fazerem referencia em eventos ligados a este assunto a alguém que não tem nada a ver.

Esta abertura tem o propósito de servir como gancho  para as observações que desejo fazer a respeito de um dos assuntos mais frequentes, nos últimos dias, na imprensa local. Estou me referindo à construção de “faixas elevadas” para pedestres em alguns pontos da cidade.

Nas entradas que fazemos diariamente nos diversos blogs locais, constatamos, através dos comentários, que as opiniões estão divididas. Alguns apontam apenas defeitos técnicos, mas acham que é necessário, porém, exigem correções.  Outros acham que não há necessidade de tais faixase  há aqueles que se limitam a tecer criticas a EPTTC e ao prefeito. Mas, constatamos, também, que existe uma pequena parcela preocupada com a resolução dos problemas que afetam a acessibilidade das pessoas em nossa cidade, como por exemplo, a construção de passarelas suspensas.

Esse equipamento pode  realmente melhorar muito a acessibilidade no meio urbano, principalmente, em nossa cidade que é cortada por algumas BR’s, desde que não esqueçamos que nós, pessoas com deficiência, também precisamos nos locomover para todos os lados da cidade como qualquer pessoa. Só que, para isso, se faz necessário alguns cuidados na hora de se fazer e executar os projetos:

• Envolver as entidades de defesa da pessoa com deficiência na elaboração dos projetos (COMUD, CCD, ADVP, APAE, ASP etc.) “Nada Sobre Nós Sem Nós”.

• Os trechos de subida e descida devem ser, obrigatoriamente, rampas e não escadas. Ou, as duas, paralelamente.

• O trecho de circulação sobre a pista deve ser envolvido em tela, para evitar que se joguem objetos sobre os carros e que pessoas caiam.

• Os guarda-corpos laterais não devem ser demasiadamente fechados e altos, para que, da estrada, se veja quem circula na passarela. É uma condição de segurança para os pedestres.

• A passarela deve ser iluminada, para inibir  a presença de mal feitores que jogam pedras nos carros para assaltá-los.

• As rampas devem ser construídas de modo que não permita o acesso de motos.

• As colunas de acessos das passarelas devem ser protegidas por defensas ou barreiras que evitem colisões por veículos desgovernados.

Na certeza de poder contar com compreensão dos projetistas e gestores, queremos nos irmanar a todos que defendem a boa acessibilidade para nós e para toda a população.

 Texto: Vitorio Rodrigues

Publicado às 13:08

Deixe seu comentário