Nilo Coelho encerra 2013 com valor bruto de produção superior a R$ 700 milhões

imageO perímetro irrigado de Nilo Coelho, localizado na cidade de Petrolina, no semiárido pernambucano, é o maior do Brasil em produção. Em 2013, o valor bruto de produção foi superior a R$ 700 milhões, com destaque para a fruticultura.

Com área irrigável de 18.563 hectares, Nilo Coelho beneficia cerca de 2.200 famílias. O perímetro também prevê a geração de 20 mil empregos diretos e 30 mil indiretos. Somente em 2012, a produção de alimentos foi de mais de 389 mil toneladas.

A distribuição do cultivo de frutas não atende só o mercado brasileiro, mas também alguns países da Europa, América do Norte e Japão. “A tecnologia intensiva de produção para fruticultura, que abre o mercado internacional, intensificando ainda mais a geração de emprego e renda na região. Além disso, há que se destacar o grau de utilização da terra, com uma grande taxa de ocupação, algo próximo dos 100%”, afirma o gerente da 3ª Superintendência Regional de Irrigação da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), José Costa.

O irrigante Mariano Inácio conta que, há dois anos, investe na produção de orgânicos em um lote de seis hectares no perímetro de Nilo Coelho, onde ele cultiva hortaliças, manga, coco e acerola. Segundo o irrigante, a modernização do perímetro foi fundamental para o crescimento na produção e investimento na área de orgânicos. “Resolvi investir na produção de orgânicos há dois anos. Em breve iremos realizar uma feira na região só com orgânicos dos produtores de Nilo Coelho”, conta Mariano, um dos pioneiros na área de orgânicos.

Dando continuidade a revitalização e modernização do perímetro, está previsto no programa Mais Irrigação, coordenado pelo Ministério da Integração Nacional (MI), por meio da Secretaria Nacional de Irrigação e executado pela Codevasf, o investimento de R$ 76,6 milhões. Já foram realizadas diversas ações, como por exemplo, a elaboração do plano diretor; aquisição de tubos das adutoras da área de Maria Tereza; substituição dos tubos em Nilo Coelho e implantação de 100 quilômetros de drenos coletores.

Em Pernambuco, os eixos atendidos pelo Mais Irrigação são os de Parcerias Público-Privadas em Irrigação (eixo 1), Agricultura Familiar e Pequenos Irrigantes (eixo 3) e Estudos e Projetos (eixo 4). “O perímetro de Nilo Coelho faz parte do primeiro eixo do programa, incentivando os pequenos e médios produtores familiares, melhorando a infraestrutura e gerando emprego e renda. Esse é o objetivo do Mais Irrigação: melhorar a renda dos pequenos agricultores e revitalizar os perímetros”, diz o secretário nacional de Irrigação, Miguel Ivan.

O programa Mais Irrigação

Lançado em novembro de 2012 pela presidenta Dilma Rousseff, o Mais Irrigação prevê investimento de R$ 10 bilhões – R$ 3 bilhões em recursos públicos, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), e R$ 7 bilhões em recursos privados. O programa, que é executado pela Codevasf, Secretaria Nacional de Irrigação e pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), atende 66 projetos em 16 estados.

Para o Estado de Pernambuco, os investimentos previstos são de R$ 366 milhões. A Codevasf, empresa pública vinculada ao Ministério da Integração Nacional, é responsável por 32 projetos em sete estados: Alagoas, Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí e Sergipe.

Assessoria de Comunicação Social

Ministério da Integração Nacional

Blog do Banana

Deixe seu comentário