“Orgulhosa demais, Frágil demais” com atrizes globais em Juazeiro

imagemA Cereja Produções traz para o Vale do São Francisco, as atrizes globais, Samara Felippo e Rita Elmôr no espetáculo “Orgulhosa demais, frágil demais”, com apresentações neste final de semana, nos dias 26 e 27 de abril (sábado e domingo), no Centro de Cultura João Gilberto em JUAZEIRO.

“Orgulhosa Demais, Frágil Demais”, de Fernando Duarte, inspirado no romance de Alfonso Signorini, sob a direção de Sandra Pêra, retrata o encontro de dois mitos mundiais: Marilyn Monroe e Maria Callas e aborda o antagonismo entre o sucesso e a solidão.

Estrelada pela atriz Samara Filippo, que viverá a grande Diva do cinema Marilyn Monroe, uma das mulheres mais desejadas do mundo, e por Rita Elmor, na pele da soprano Maria Callas, cujo encontro se passa na noite histórica em que as duas cantaram para o Presidente John Kennedy no Madison Square Garden, em Nova York.

Num diálogo dentro do camarim, as duas destilam acidez e humor, falando sobre a vida, a condição da mulher no mundo, coragem, insegurança, solidão, vaidade e tudo o mais que rege a vida de duas mulheres mundialmente famosas, mesmo sendo dois mitos, com propostas de carreiras bem diferentes. O espectador poderá se deliciar e encontrar detalhes em comum que ninguém supunha ter entre a Soprano e a Sexy Simbol.

Maria Callas cantou Habanera, de Carmen, depois de ser ovacionada, voltou aos bastidores quando se viu repentinamente diante de Marilyn Monroe que assistiu emocionada a apresentação da grande soprano. “Somente uma mulher que realmente conheceu o amor, poderia cantar como a senhora”, disse a diva do cinema. O palco escureceu. Dentro de um vestido brilhante, de sereia rosa chá e costurado em seu corpo, Marilyn Monroe ficou sob os holofotes a que faria história naquela noite. Um frenesi tomou conta da plateia quando sentiram o suspiro da atriz, antes que começasse a entoar de forma quase sussurrada o “Feliz Aniversário”. Intimista e sensual, o som saía de uma voz apaixonada. Foi também o que bastou para que todos os rumores sobre o affair do presidente e da musa tomassem as ruas de Nova York.

Duas mulheres com temperamentos completamente opostos sofriam pelo mesmo motivo, a solidão. Marilyn admirava Callas, que por sua vez desprezava atrizes com o rótulo de símbolo sexual, e via em Marylin o emblema da superficialidade feminina. Esse encontro histórico resultou numa conversa emocionante, dois dos maiores mitos da história tiram a máscara e mostram o abismo que existia entre as divas dos holofotes e as mulheres longe dos olhos do público. Naquela noite, Callas não queria cantar, mas aceitou o convite apenas para agradar Onassis, sabia que ele gostaria de conhecer o presidente. O que nunca poderia imaginar é que, naquela noite, conheceria a mulher que alguns anos mais tarde, se tornaria sua grande rival.

Serviço:

Local: Centro de Cultura João Gilberto em Juazeiro

Data: 26 e 27 de abril (sábado e domingo) às 20h

Ingressos antecipados: Portal SG, Restaurante Maria Bonita e Grande Hotel de Juazeiro (à vista ou no cartão)

Mais Informações: (74) 9198.2750 / (74) 8838.1528 ou através do e-mail: cerejaproducoes@hotmail.com

Blog do Banana

Deixe seu comentário