Osvaldo Coelho faz uma convocação! “Nossa cidade é boa na uva e na manga, mas que seja boa também na formação do conhecimento dos jovens”

imgemDurante a leitura do livro “ Coronel Quelê: adversidade e bonança”, do escritor José Américo de Lima, encontra-se uma página escrita pelo Monsenhor Bernardino Padilha da Luz que diz: Meu pai, Pacifico da Luz, foi prefeito da cidade de Petrolina pelo um longo período. A família da qual faço parte chama-se Padilha e dominou politicamente essa cidade. Meu pai, representante da família Luz, dizia que quem dominaria posteriormente a cidade, politicamente, seria Quelê porque investia nos estudos dos filhos.

Naquela época, os contemporâneos do Coronel Quelê, meu pai, para proteger os filhos, compravam lojas de tecido, armazéns de ferragem, uma terra seca numa fazenda ou uma beira de rio chamada de vazante. Dessa forma, eles se conformavam em proteger o futuro dos filhos. Já o meu pai ia mais longe e nos mandava para os melhores colégios do Brasil. Adalberto e eu estudamos em São Paulo no Colégio São Bento; Paulo em Itajubá; Geraldo estudou na Universidade Presbiteriana Mackenzie também na cidade de São Paulo; Nilo, na Faculdade Federal de Medicina da Bahia; Gercino, na Faculdade Nacional de Direito do Rio de Janeiro. Esta foi a visão de investimento na educação que meu pai nos proporcionou.

Muitas vezes, a gente pergunta: o que é Petrolina? Existe uma série de definições inquestionáveis, entre elas, Dom Malan, porem existe o pós Dom Malan. Considerando os filhos de Quelê que diferenciados e unidos se juntaram ao povo para surgir Petrolina. O domínio era dado a quem tinha o conhecimento.

E o que representa a UNIVASF? É a transição do poder do conhecimento do filho do coronel para os filhos do povo. Agrada-me ter lutado pela Universidade. O seu papel é de transição para oportunidades mais igualitárias. Isso é a democratização do saber.

O deputado Joel de Holanda me disse: “Seu Osvaldo, sua cidade produz uvas boas, mangas boas, mas agora vai produzir uma coisa maior e melhor, irá produzir o conhecimento”. Portanto, a Universidade é a produtora de conhecimento.

Eu disse ao governador Jarbas Vasconcelos que os nossos alunos da escola pública precisavam entrar na Universidade com condições de competição. Surgiu o curso Euclides da Cunha com objetivo de reforçar o conhecimento com mais de duas mil matriculas na ocasião. Quando o mandato de Jarbas acabou, o governo seguinte não se interessou pelo projeto. Em contrapartida, Julio Lossio vem fazendo o que pode em nosso município, oferecendo um curso de reforço e este ano ele fará um curso mais ampliado. As instituições de ensino chegaram e, por isso precisamos que nossos alunos estejam aptos a aproveitar essas oportunidades, tendo ou não condições financeiras favoráveis. Esta é uma batalha inquestionável.

Lembro-me bem de que ao visitar a Universidade de Heidelberg na Alemanha, numa manhã, a relva cobria a cidade, avistei então muitos jovens que eram alunos universitários tomando banho de sol. Eu sonhava isso para Petrolina.

Osvaldo Coelho, 83 anos. Foi Deputado Federal por 11 legislaturas ( DEM Pernambuco).

Blog do Banana

Deixe seu comentário