Governador cruza os braços para as condições de trabalho dos Policiais do Estado

A tragédia envolvendo policiais militares em serviço, mortos violentamente num acidente enquanto utilizavam uma viatura da Polícia Militar, reflete o descaso do Governo de Pernambuco com o sertão.

Blindado por uma popularidade em alta e por um populismo que beira o êxtase, o governador Eduardo Campos parece estar mais preocupado com a sucessão municipal em Petrolina e no Recife, do que com as condições de trabalho que os pais e mães de família têm para exercer as suas tarefas na máquina pública do Estado.

Qualquer cidadão zeloso sabe que um veículo precisa de reparos, revisões e manutenções periódicas, e se 2 policiais militares morrem em serviço porque um pneu estourou, vem à tona, que há mais gravidade do que se possa imaginar. E, um dia depois um acidente aconteceu com outra viatura da mesma companhia ( Santa Maria da Boa Vista), que colidiu com um caminhão. O policial escapou com vida, mas isso mostra a escala estressante que os policiais são obrigados  a cumprir. Impossível não recordar o filme Tropas de Elite 1, onde policiais têm que se virar para manter “andando” a frota da corporação. Enquanto em Tropa de Elite 2, políticos viciados no poder são os verdadeiros inimigos da segurança pública.

O Governador Eduardo Campos esquece que os resultados da sua gestão são minguados e perceptíveis apenas no Porto de Suape. Surfa no sonho de um dia ser presidente do Brasil, no momento em que o seu programa de Marketing intitulado “Pacto pela Vida”, revela-se um verdadeiro “Pacto de Morte”.

 

Texto:  Ericke Araujo

Blog do Banana

 

Deixe seu comentário