Planos de saúde têm dez dias para atualizar informações sobre rede credenciada

Nos próximos dez dias, operadoras de planos de saúde que atuam em Pernambuco deverão apresentar informações atualizadas sobre suas respectivas redes credenciadas. Será com base nesses dados que as negociações por aumentos nos honorários médicos e nos valores dos serviços hospitalares serão travadas no Estado. A decisão foi tomada na última quarta (21), após reunião do Fórum de Saúde Suplementar. O compromisso adiou um endurecimento dos hospitais na disputa por reajustes junto às operadoras. “Estamos dando um tempo para analisar os dados que serão informados. Será a hora da verdade”, classificou o presidente do Sindicato dos Hospitais de Pernambuco (Sindhospe), Mardônio Quintas.

Antes da reunião, chegou-se a cogitar um movimento de descredenciamento em massa das empresas hospitalares, que esfriou por enquanto.

Com um número cada vez maior de médicos pedindo desligamento e relações azedadas com hospitais, os planos não disponibilizam para seus usuários informações atualizadas. Livros e sites estão defasados. Diariamente consumidores tentam marcar uma consulta e se surpreendem com o aviso dos médicos de que não estão mais atendendo por determinado plano.

Em muitos casos, correm para emergências, pressionando ainda mais a disponibilidade de leitos, inferior a demanda criada com o crescimento do mercado de saúde suplementar.

O caso dos hospitais é semelhante ao dos médicos quando o assunto é o valor pago pelos planos. Quintas informou que há operadoras de grande porte que praticam uma tabela de preços de 1992. “São 20 anos. Não precisa ser um especialista para enxergar que esses valores estão defasados”, alfinetou. No Estado são 32 hospitais (nem todos com emergências) para atender 1,6 milhão de usuários de planos.

Fonte: Petrolina 1

Blog do Banana

Deixe seu comentário