Prefeitura de Afrânio envia nota de resposta ao Blog do Banana, acerca do hospital de campanha e promete comprar ventiladores pulmonares

Após a denúncia feita pela vereadora Leila dos Anjos sobre a falta de estrutura do Hospital improvisado de Campanha em Afrânio – PE, sem a aquisição de aparelhos como: monitor cardíaco, respirador e adequações com oxigênio. A prefeitura responde através de nota que:

A gestão implantou um hospital de campanha no município, o qual inicialmente contará com 09 leitos, para atendimento exclusivo a pacientes com sintomatologia sugestiva de Covid-19.

Além de ampliar a oferta de leitos, a medida visa proteger a população e os profissionais de infecção cruzada, ou seja, de contágio dentro da própria unidade hospitalar (o cidadão entra com uma doença e sai com outra).

Toda a população afraniense tem conhecimento que o Hospital Municipal, no final da gestão anterior, tinha estrutura precária e inadequada. A atual gestão, cumprindo seu dever, está realizando uma grande reforma e modernização, com um investimento de R$ 1.300.000,00 (um milhão e trezentos mil reais), oriundo de Convênio com o Ministério da Saúde. As obras estão em andamento.

Devido à mencionada reforma, os serviços do Hospital Municipal foram deslocados, provisoriamente, para o prédio da Maternidade Municipal.

Com a necessidade de enfrentamento da pandemia do Coronavírus, a Prefeitura Municipal instalou 09 leitos no prédio da Escola Municipal Clementino Coelho, situado ao lado da maternidade, e que está desativada em razão da suspensão das aulas.

O que se esclarece para a população é que o momento que a humanidade atravessa é excepcional, e tem testado os limites das redes de saúde de países desenvolvidos da Europa, dos Estados Unidos, e também das capitais e dos Estados mais ricos do Brasil, a exemplo de São Paulo.

Em Afrânio, precisávamos de uma solução imediata para isolamento dos pacientes com suspeita de Covid-19, de modo a salvaguardar os pacientes do serviço hospitalar, seus acompanhantes, familiares e os profissionais de saúde.

Ademais, nada há de ilegal ou anormal em aproveitar um prédio público para instalação de um hospital de campanha, especialmente se isso ocorrerá por mínimo período de tempo, já que a inauguração do hospital municipal reformado está prevista para ocorrer em 02 (dois) meses.

Informa-se, ainda, que a Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária – APEVISA vistoriou as instalações do hospital de campanha e não fez ressalvas quanto as suas condições, aprovando o seu pleno funcionamento, o que afasta qualquer ilação de irregularidade sanitária.

No tocante a ventilador mecânico (ventilador pulmonar), desde o início da pandemia, a gestão municipal está empenhada em adquirir tanto o fixo como o portátil. Como se trata de problema mundial, é do conhecimento de todos a escassez desses produtos no mercado, assim como os preços abusivos. Mesmo com essa dificuldade, já foi encontrado fornecedor que tem o equipamento disponível e os trâmites burocráticos para aquisição estão sendo finalizados.

Quanto a chegada de recursos, a vereadora ou está desinformada ou age de má-fé. O projeto de lei que trata da ajuda emergencial aos Estados e Municípios sequer já foi sancionado pelo Presidente da República. Esse projeto que visa recompor as receitas dos Estados e Municípios, que caíram drasticamente em razão da pandemia. Saliente-se que os valores, que, após sanção presidencial, serão depositados em 04 parcelas mensais, representa apenas 30% das perdas de arrecadação dos municípios.

Dito isso, quem insinua que os Municípios estão “cheios de dinheiro” não está bem intencionado.

Por fim, a Prefeitura informa que prosseguirá firme no seu propósito de cuidar da saúde dos afranienses com zelo e dedicação, externando o seu veemente repúdio a manifestações diretas ou indiretas de proselitismo, inoportunas neste momento tão dramático, que põe em risco a saúde de toda a população, e que se fundam em especulações despropositadas, dissociadas da realidade dos fatos acima esclarecida.

Deixe seu comentário