Procon-Recife intensifica ação de fiscalização das agências bancárias

A fim de garantir a segurança e a qualidade da prestação de serviços oferecidos pelos bancos aos usuários, o Procon-Recife autuou algumas agências que deixaram a desejar no quesito segurança. As instituições autuadas devem apresentar defesa no prazo de dez dias.

Durante as visitas foram verificados elementos de segurança – blindagem, presença de policiais, vaga destinada aos carros-fortes, instalação do passa-volumes, entre outros itens preventivos. “A idéia é reduzir o número de assaltos e resguardar o público usuário dos serviços bancários”, explica Cleide Torres, diretora do Procon-Recife.

A operação foi deflagrada para vistoriar as agências bancárias com maior nível de insegurança na cidade do Recife. Em atendimento ao princípio constitucional da ampla defesa e do contraditório, as agências autuadas tiveram dez dias para adequar-se às normas legais e apresentar defesa administrativa. Após o prazo, serão tomadas as providências cabíveis e disciplinadas pela legislação em vigor, podendo que vão desde advertência, multa, até o fechamento da agência.

De acordo com o balanço da operação, a equipe visitou agências do Bradesco, Itaú, Banco do Brasil e Santander. Confira a situação de cada banco.

Bradesco
–  Irregularidades – Falta de porta detectora de metais; biombos nos caixas; cabine blindada para o carro forte; seguranças no pavimento superior e na área dos caixas automáticos; alvará de localização e funcionamento; portas e janelas de vidros blindados; garagem e vaga para carro forte e vigilância externa, além de falta de informações constando a proibição do uso do celular e falta de instalação de equipamentos (artefatos) que inibam ligações de celulares.

Itaú:  Irregularidades – Falta do alvará de localização e funcionamento; portas e janelas de vidros blindados; portas com detector de metais; recipiente parta guarda de objetos metálicos; câmeras externas; biombos e divisórias nas áreas dos caixas internos e caixas eletrônicos; garagem e vaga para carro forte e vigilância externa; vigilantes internos insuficientes; informações constando a proibição do uso do celular; instalação de equipamentos (artefatos) que inibam ligações de celulares; cabines blindadas para uso da vigilância e instalação de câmera na parte comercial (gerência).

Banco do Brasil: Irregularidades – Falta do alvará de localização e funcionamento; portas e janelas de vidros blindados; câmeras externas; biombos e divisórias nas áreas dos caixas internos e caixas eletrônicos; garagem e vaga para carro forte; vigilância externa; vigilantes internos insuficientes; informações constando a proibição do celular; instalação de equipamentos (arrtefatos) que inibam ligações de celulares e instalação de cabines blindadas para uso da vigilância.

Santander:
  Irregularidades – Falta do alvará de localização e funcionamento; portas e janelas com vidros blindados; câmeras externas; biombos e divisórias nas áreas dos caixas eletrônicos; garagem e vaga para carro forte; vigilância externa; informações constando a proibição do uso do celular; instalação de equipamento (artefatos) que inibam ligações de celulares e cabines blindadas para uso da vigilância.

Fonte: Blog do Jamildo

Blog do Banana

Deixe seu comentário