Prossegue até sexta-feira (31), a 6ª edição do Festival Janeiro Tem Mais Artes

imageDepois de uma semana inteira dialogando com a música, dança, literatura, teatro e as artes visuais do Vale do São Francisco, prossegue em Petrolina – PE, a 6ª edição do Festival Janeiro Tem Mais Artes, que promete até a próxima sexta-feira (31), uma programação pra lá de interessante.

O leque de opções se abre às 18h desta terça-feira (28), quando sobe ao palco da Tenda Cultural da praça do Bambuzinho a apresentação artística Fuá na Casa de Zé Mané. Apresentada pela Cia de Dança do Sesc, a atração mostra, numa versão resumida, as relações criadas entre a dança contemporânea e os ritmos e danças populares do Nordeste, como o forró, xote e baião. Depois, as atenções se voltam para o Teatro Dona Amélia (Sesc Petrolina), onde o público poderá conferir um encontro entre textos e canções com o Recital Para se Encontrar. Apresentado às 20h, pelo Pé Nu Palco Grupo de Teatro e a cantora Fabiana Santiago, o Recital promete provocar questionamentos do tipo, “Por que as pessoas escrevem, leem, fazem arte? O que fazer para estar completo estando só?”.

Na quarta-feira (29), a seqüência de espetáculos curtos na Tenda Cultural do Bambuzinho – objetivando a oferta gratuita de atrações culturais para o público comerciário, que sai do trabalho às 18h, vai apresentar Do Terrêro de Salu com a Cia Balançarte. Uma mistura de maracatu, coco, ciranda e toada de cavalo marinho em homenagem a um dos maiores artistas populares de Pernambuco, Mestre Salustiano Soares. E nesta pisada, “depois da praça, o palco”, o Janeiro Tem Mais Artes volta ao Teatro Dona Amélia às 20h, com o espetáculo de dança Para Sempre Teu. Durante 45 minutos, a Qualquer um dos 2 Companhia de Dança mostra um verdadeiro mergulho do ser humano em busca da sua essência e do encontro com o outro.

A quinta-feira chega com mais uma intervenção artística na praça do Bambuzinho. Às 18h, a Cia Biruta mostra O Arranjo da Filha do Doente, onde traça um paralelo entre o universo popular com os tipos nordestinos e a comédia do dramaturgo francês Moliére. E no Teatro Dona Amélia, às 19h, a Mostra 2 Minutos para Dança vai apresentar 20 solos de aproximadamente dois minutos cada, onde o público poderá conhecer um recorte do trabalho de experimentação e pesquisa corporal dos bailarinos da Cia de Dança do Sesc Petrolina.

E fechando a programação do penúltimo dia, o Núcleo de Teatro do Sesc apresenta às 21h, na escada lateral do Teatro Dona Amélia, o Ensaio Curral Grande. Uma pesquisa de montagem teatral, ainda em processo de construção, que mostra os efeitos da seca de 1932, no Ceará e a forma com que as autoridades procuraram manter a cidade de Fortaleza afastada da miséria. Do texto original de Marcos Barbosa, o Ensaio expõe as frentes de trabalho, políticas de emigração para outros estados e o isolamento de milhares de sertanejos em sete Campos de Concentração.

E na sexta-feira (31), a 6ª edição do Janeiro Tem Mais Artes se despede do público às 18h, na Tenda Cultural do Bambuzinho, com a intervenção artística Meu Querido Catavento. Um espetáculo curto, onde os intérpretes criadores do Coletivo Trippé brincam com o encontro entre o adulto e a criança que já foi um dia, explorando as possibilidades lúdicas e da imaginação. Depois, o público será convidado ao Teatro Dona Amélia, onde vai ser apresentada às 19h, a leitura dramática – monólogo em 1 ato, Loretta Strong, com a companhia Não Por Acaso (Recife –PE).

Uma adaptação de Renata Pimentel, com direção de Galiana Brasil, que mostra os sonhos e divagações de Loretta em uma expedição interplanetária cercada de seres, sons e imagens. E encerrando com música e folia, o Coletivo Não Identificado, apresenta às 21h no Espaço da Cantina o show Sobre Alegria, Verões e Outros Carnavais. Um repertório de músicas autorais e canções dos carnavais, do Ilê Aiyê ao Galo da Madrugada, que vai deixar muita gente com saudades da 6ª edição do Festival Janeiro Tem Mais Artes.

Clas Comunicação

Blog do Banana

Deixe seu comentário